Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

14ª edição do Festival Pau & Corda de Carimbó encerra neste sábado 

A partir das 14h começam as apresentações com vários grupos

Bruna Lima

A Rua do Carimbó em Belém, localizada na passagem Álvaro Adolfo, no bairro da Pedreira, encerra neste sábado (27) a 14ª edição do Festival Pau & Corda de Carimbó, uma festa tradicional para a comunidade e para todos que apreciam a cultura popular. A programação conta com mais de 20 grupos de carimbó e 30 fazedores de cultura.

VEJA MAIS

Mariana Rios mostra rebolado ao dançar carimbó em Alter do Chão; veja o vídeo
Atriz está no Pará para realizar um trabalho publicitário.

Festival de Pau e Corda do Carimbó da Pedreira para o mundo
Esse ano a programação começa neste sábado (22) e vai até o próximo dia 30 de maio com apresentações de grupos, bate-papo, oficinas, dança e programação infantil.

Grupo de Cultura Regional Iaçá comemora 25 anos na roda de carimbó
O projeto Carimbó do Por-do-sol recebe a participação da mestra Nazaré Do Ó

A partir das 14h começam as apresentações com os grupos Som de Pau Oco (Belém), As Manas no Carimbó (Ananindeua), Carimbó Tarubá (Itaiteua), Estação Carimbó (Capanema), Raisan (Belém), Grupo de Carimbó Unidos do Paraíso de Santa Bárbara, Coletivo de Mestres e Sancari.

Além de shows, o festival traz oficinas de curimbó e confecção de bonecas de material reciclado, exibição de filmes (cinema na rua) e palestrade combate à pedofilia; tudo ao ar livre. A oficina de curimbó será ministrada pelo mestre Lucas Bragança, integrante do grupo Sancari

Esse ano, o festival homenageia mestre Cazuza, do município de Santa Bárbara, cantor e fundador do grupo de carimbó Unidos do Paraíso, fundado há mais de 20 anos. O sotaque musical das canções produzidas por ele são definidas como rural e ribeirinho, pertencentes à região do carimbó da água doce. Cazuza fundou o grupo Unidos do Paraíso junto com o irmão, mestre Ílson, que foi brutalmente assassinado no ano de 2021.

O Festival Pau & Corda do Carimbó acontece há 14 anos de forma independente e a partir da articulação dos moradores da passagem Álvaro Adolfo. Esse ano o projeto não recebeu nenhum tipo de incentivo cultural ou financeiro resultante de políticas públicas, o que segundo a produtora cultural Neire Rocha, dificulta a realização do evento. “É muito difícil fazer cultura popular, mas é uma forma de viver e de resistir também”, diz.

O evento faz parte do Circuito de Carimbó Zimba Pará e foi criado dentro do movimento do Carimbó. A mostra é realizada em homenagem ao Dia Nacional do Folclore e também ao Dia Municipal do Carimbó, que marca o nascimento de um dos mais ilustres mestres de carimbó do Pará, Verequete

Palavras-chave

Cultura
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM CULTURA

MAIS LIDAS EM CULTURA