CONTINUE EM OLIBERAL.COM
X

Círio 2022: conheça as regras de segurança para embarcações que participarão do Círio Fluvial

A romaria fluvial será dia 8 de outubro

Eduardo Rocha
fonte

O Comando do IV Distrito Naval, sediado em Belém (PA), estabeleceu regras especiais de segurança para as embarcações que irão participar do Círio Fluvial de Nossa Senhora de Nazaré. Essas regras, dispostas na Portaria Com4ºDN/ComOpNav/MB nº 1, de 12 de agosto de 2022 - publicada no Diário Oficial da União - abrangem 12 diretrizes. A romaria fluvial será no dia 8 de outubro, saindo do trapiche de Icoaraci, pela baia do Guajará, rumo à escadinha da Doca.

Como é explicitado na portaria, as embarcações que estiverem acompanhando o Círio Fluvial não poderão adentrar o isolamento feito pela Capitania dos Portos da Amazônia Oriental (CPAOR) em torno do navio da Marinha do Brasil, que transportará a imagem de Nossa Senhora de Nazaré; a área em que será realizada o Círio Fluvial (trecho fluvial da Baía do Guajará entre o Distrito de Icoaraci e o porto de Belém – Escadinha) estará interditada e será proibida a permanência e/ou navegação de qualquer embarcação que não esteja inscrita na CPAOR para participar do traslado; e é obrigatória a inscrição, na CPAOR, de todas as embarcações que desejarem participar do Círio Fluvial.

VEJA MAIS 

image Incêndio no Ver-o-Peso: cartaz de Nossa Senhora de Nazaré fica intacto após fogo em box
Fato chamou atenção dos trabalhadores que ajudaram a permissionária do box número 7 durante o princípio de incêndio. "Foi proteção", disse um feirante.

image Círio 2022: imagem de Nossa Senhora participa do Círio no Rio de Janeiro
Confira a agenda de peregrinação que vai de 11 a 14 de agosto na Cidade Maravilhosa

image Círio 2022: imagem de Nossa Senhora de Nazaré inicia peregrinações no Rio de Janeiro
A imagem foi recebida por dom Orani e seguiu imediatamente para o início de uma longa programação até o dia 14

Como se inscrever no Círio Fluvial?

As inscrições serão realizadas sem custo na sede da CPAOR, no período a ser divulgado pela CPAOR, devendo ser apresentados os seguintes documentos: cópia do Título de Inscrição de Embarcação (TIE); caderneta de Inscrição e Registro (CIR)/Carteira de Habilitação de Amador (CHA) dos Comandantes/condutores das embarcações; certificado de Segurança da Navegação (CSN), quando aplicável, e o Termo de Responsabilidade devidamente assinado pelo proprietário/Comandante da embarcação; e as embarcações não classificadas quanto à atividade de passageiro e esporte e/ou recreio deverão apresentar, ainda, uma declaração de profissional habilitado, com a respectiva Anotação de Responsabilidade Técnica (ART), atestando que a embarcação está apta a transportar passageiros.

A inscrição será validada somente após o recebimento da bandeira e do adesivo (para motoaquática) fornecidos pela Secretaria de Turismo do Estado do Pará (Setur-PA), que serão entregues pela CPAOR no ato da inscrição. A bandeira e o adesivo deverão estar posicionados em local visível e as embarcações que não estiverem portando os mesmos serão consideradas como não inscritas e poderão sofrer sanção perante a LESTA (Lei de Segurança do Trafego Aquaviário). A inscrição das embarcações na CPAOR é nominal e intransferível, não podendo uma embarcação ser substituída por outra em qualquer hipótese; no ato da inscrição os solicitantes receberão uma cópia da Portaria sobre as normas.

Não serão aceitas inscrições das embarcações que cometeram algum tipo de infração durante a Romaria Fluvial nos anos anteriores; durante o período de inscrição, o Comando do 4º Distrito Naval, por intermédio da CPAOR, estimulará a campanha de doação de livros infantis, denominada “Maré do Saber”. 

Os livros angariados serão levados pelos Navios da Marinha do Brasil para o interior do Estado, a fim de serem doados para os acervos das bibliotecas de escolas públicas ribeirinhas. O objetivo da ação é contribuir com o desenvolvimento das crianças, estimulando a empatia, concentração, memória, imaginação e outras habilidades promovidas pela leitura.

Traslado para Icoaraci

No traslado do Distrito de Icoaraci para o porto de Belém – Escadinha, somente as embarcações de esporte e/ou recreio (lanchas, botes e motoaquáticas) poderão ficar a bombordo (esquerda) do navio da Marinha do Brasil, que transportará a imagem de Nossa Senhora de Nazaré;

As embarcações com Arqueação Bruta (AB) igual ou maior que 100 serão posicionadas em coluna e, assim deverão manter suas posições a boreste (direita), em relação ao navio da Marinha do Brasil, que transportará a imagem de Nossa Senhora de Nazaré, até o final do percurso. A posição de cada embarcação nesta coluna será estabelecida por meio de sorteio realizado pela CPAOR, em data a ser divulgada oportunamente;

Todas as embarcações inscritas com AB igual ou maior que 100 serão vistoriadas, mediante agendamento prévio junto à CPAOR, para verificação de suas condições de segurança, e, caso apresentem discrepâncias, não poderão participar do Círio Fluvial. A CPAOR selecionará algumas destas embarcações para realizar o embarque de militares, com o propósito de facilitar a comunicação com a coordenação do Círio e demais embarcações, bem como auxiliar e orientar todos os Comandantes durante o percurso;

A Marinha do Brasil recomenda cautela durante a navegação no Rio Pará, principalmente, na Baia do Marajó, com especial atenção ao período vespertino, mormente para as embarcações que transportam passageiros, com AB menor que 100, com casco de madeira e fundo chato, de acordo com a Portaria no 78/2017, da CPAOR. "É proibido o transporte de crianças menores de doze anos em balsas e motoaquáticas; as balsas que possuem rampas de acesso deverão estar com as mesmas totalmente içadas e travadas", é comunicado na portaria.

Será obrigatório o uso de colete salva-vidas em embarcações miúdas do tipo “rabeta”, “canoa” e bote de casco de alumínio ou madeira; caso seja constatado o transporte de passageiros acima da lotação permitida, o comandante da embarcação será notificado e responsabilizado de acordo com o inciso II, do art. 22 do RLESTA, estando passível de ser enquadrado nos art. 132 e 261 do Código Penal, pela autoridade competente; e caso qualquer uma das regras estabelecidas não sejam cumpridas por quaisquer embarcações, estas serão notificadas e responsabilizadas de acordo com os incisos VI e VII do art. 23 do RLESTA. A portaria, assinada pelo capitão-tenente Wesley Ferreira da Silva, entrou em vigor em 1º de setembro de 2022

Entre no nosso grupo de notícias no WhatsApp e Telegram 📱
Círio
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!