Youtuber sequestra amigo para levantar dinheiro

Segundo a polícia, ele aproveitou proximidade para arquitetar o crime, mas acabou preso

Redação Integrada com informações do Metrópoles

“Muy Amigo” foi o nome da operação da Delegacia de Repressão à Sequestro (DRS), da Polícia Civil do Distrito Federal, para prender um bando que planejou e executou um sequestro malsucedido envolvendo amigos youtubers do setor automobilístico.

O youtuber de Brasília conhecido como Rodrigão resolveu levantar um dinheiro por um meio diferente ao mais comum, de anunciar produtos automobilísticos para seus milhares de seguidores em seu canal. Em vez disso, ele decidiu aproveitando a proximidade com outro youtuber, que é um empresário de Brasília, morador do Lago Sul, e sequestrá-lo junto com a mãe da vítima para conseguir dinheiro, segundo as investigações da polícia, que desvendou o crime ocorrido no dia 3 de junho e com desfecho no dia 21 de julho. A família ficou cerca de 13 horas em poder dos bandidos.

O sequestrador, segundo a polícia, contratou dois comparsas para praticar o sequestro e ainda outro, um hacker, para ajudar na inteligência da operação criminosa. O alvo do crime era “amigo” do sequestrador, por isso, a operação se chamou “Muy Amigo”.

O sequestro

A ideia do crime era sequestrar a mãe e o amigo e liberar um dos dois para que fizesse a transação financeira. O mentor do crime iria atuar sem aparecer. O amigo hacker do mentor se passou, por telefone, por alguém interessado em um imóvel da família. Então foi marcada uma visita no dia 3 de junho de 2020. Mãe e filho chegaram para a visita, mas o que encontraram foi os sequestradores. Eles foram rendidos e levados dali em um carro para um cativeiro.

No cativeiro, eles foram separados e interrogados para se saber exatamente as possibilidades financeiras da família. Porém, apesar de aparentemente tudo estar muito bem planejado, eles não contavam que os recursos da família vítima do sequestro estava quase tudo aplicado em imóveis, o que não possibilidade a chamada liquidez rápida.

Libertação

A partir dessa situação, o youtuber resolveu soltar os dois inventando que outro dia ligaria para cobrar uma alta quantia. Isso nunca aconteceu. Mas, com medo, as vítimas não denunciaram no primeiro momento à polícia o crime que resolveram fugir do País.

Porém um amigo da vítima, esse amigo de verdade, insistiu para que procurassem a DRS. Foi então que os especialistas começaram a ligar os pontos perceberam o alto nível de conhecimento técnico dos autores, o que levou, em 21 de julho, à prisão do youtuber e também de dois sequestradores. Um quarto componente do bando continua foragido. O amigo do youtuber nega a participação no crime.

As vítimas desistiram de sair do Brasil.

O diretor da DRS, Leandro Ritt, disse que o objetivo do sequestro era conseguir muito dinheiro, porque a família tinha um alto poder aquisitivo. “A relação entre o youtuber e uma das vítimas já durava muitos anos. O autor tinha ciência do patrimônio, pois frequentava a casa da vítima. A partir dessa intimidade surgiu a ideia do sequestro”, disse Ritt.

“A relação entre o youtuber e uma das vítimas já durava muitos anos. O autor tinha ciência do patrimônio, pois frequentava a casa da vítima. A partir dessa intimidade surgiu a ideia do sequestro”, disse Ritt.

Brasil
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM BRASIL