Governo e Prefeitura de Belém entregam primeira etapa do novo Parque Cemitério da Soledade

O local ficará aberto para visitação de quinta a segunda

O Liberal

Cheio de histórias e muitas peculiaridades, o Cemitério da Soledade agora é um parque e foi devolvido à população nesta quarta-feira (11), véspera do aniversário de Belém. O novo ponto de encontro foi desativado ainda em 1880 e tombado pelo Instituto Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 1964, e o trabalho de restauro de mausoleus, espaços de convivência e ruas internas iniciou ainda em 2021, quando foi firmada uma parceria entre a Secretaria de Estado de Cultura (Secult) e a gestão municipal. A solenidade de reativação foi conduzida pelo governador Helder Barbalho (MDB) e pelo prefeito municipal, Edmilson Rodrigues (Psol).

O chefe do Executivo estadual discursou agradecendo pelo trabalho conjunto que permitiu entrar neste espaço e "resgatar a cidade". "Esta é, certamente, uma das localidades mais extraordinárias do Brasil, com beleza e peculiaridades arquitetônicas que remontam às gerações passadas. Agradeço a parceria da Universidade Federal do Pará (UFPA), vocês estão orgulhosos desse resultado e merecem estar pelo resgate à memória, pela experiência de convergir teoria e prática", declarou.

Barbalho ainda agradeceu a todos os trabalhadores que atuaram "para que este sonho pudesse se tornar realidade, não seria possível sem a presença de cada um de vocês", discursou e, ao final, pediu à população para cuidar e zelar pelo local, reativado com investimento de recursos públicos.

Já o prefeito Edmilson Rodrigues, por sua vez, reconheceu a iniciativa do governo estadual em trabalhar conjuntamente com a Prefeitura para transformar um local tão central da capital paraense. "Agradeço essa parceria tão importante e acho que ainda virão muitas conquistas. Parabenizo a Secult e o governo porque o nome diz, parceria se faz entre partes", complementou.

O padre Vladian Silva, da Paróquia da Santíssima Trindade, fez uma benção inicial para marcar a reabertura do espaço. "Não deixa de ser um local de memórias, onde as pessoas vem para fazer uma oração pelas almas de seus entes queridos. Fizemos um pedido para que aqui se continuasse essa assistência religiosa", relata.

De acordo com a Secult, que será administradora do agora parque-cemitério, com a entrega da primeira etapa do trabalho, o local estará aberto a visitação de quinta a domingo, sempre das 9h às 17h. No local, é possível encontrar mausoleus do General Gurjão, do Capitão Manoel Barata, do Cônego Siqueira Mendes, do Menino Zezinho, dentre outros.

Graziela Fauzi é terapeuta ocupacional e foi ao local logo no dia da reabertura. Ela soube da novidade pela cunhada, que fez parte da equipe que trabalhou na parte de restauro e conservação. "Eu achei muito bonito e interessante, gosto da ideia desse resgate da história, da nossa cultura. Têm muitos devotos de pessoas que foram sepultadas aqui, e agora podem vir aqui com mais segurança. Jamais imaginei que um cemitério pudesse virar um local acolhedor", relata.

Belém Pra Ver e Sentir
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!