Tratamentos alternativos aos males do corpo (e da alma)

Vanessa Van Rooijen

A comerciante Ana Paula Fernandes, 57, é mãe de Carlos Eduardo, 27, e há alguns anos se deparou com um grande desafio: buscar melhorias para a saúde do filho. O estudante tem Síndrome de Asperger, que é um transtorno do espectro do autismo, e já apresentou sintomas de depressão. Há cerca de um ano o quadro clínico dele piorou e Carlos já não queria comer, estava debilitado e sem ânimo para qualquer atividade. A angústia de Ana Paula era grande, então procurou ajuda. Ela encontrou a solução na terapia Reiki.  

Reiki é uma terapia que trabalha o emocional, mental e espiritual das pessoas. "Sinto meu filho renovado após cada sessão. Eu não conhecia muito bem e comecei a entender e admirar esta maravilhosa técnica quando meu filho precisou de ajuda. Nesta época, ao invés de procurar um psiquiatra, optei por esta terapia alternativa. Ele começou a praticar em agosto de 2018 e na primeira sessão já encontrei uma luz no fim do túnel e eu pude ver um brilho nos olhos dele", garante emocionada. 

Ana Paula Fernandes e o filho Carlos Eduardo (Naiara Jinknss / Troppo)

 

Ana Paula afirma que é preciso que todos estejam com o coração e a mente abertos para outras formas de tratamentos que oferecem a melhora para o ser humano. "Meu filho é a prova de que funciona. O avanço que ele teve com Reiki é nítido. Em cada sessão havia um progresso. O apetite voltou e ele começou a experimentar outros alimentos. Que felicidade eu senti! Ele começou a ganhar confiança em si e atualmente já trabalha, graças a uma oportunidade do tio e está indo muito bem", comemora. 

Reiki é um terapia de origem japonesa; processo de encontro das duas energias "rei" (energia vital do universo) + "ki" (energias, como os chakras), que juntos representam a captação ilimitada da energia vital do universo. De acordo com o Dr. Gilmar Maia, 46, fisioterapeuta e terapeuta holístico, a terapia Reiki ativa os chakras. Segundo dr. Gilson, os chakras são centros, vórtices, geradores, captadores ou dispersores de energia, que são formados pelo aumento da densidade dos canais de energia em determinadas região do corpo. Os chakras trazem a energia da terra e do céu para o corpo", descreve. 

Dr. Gilmar Maia (Naiara Jinknss / Troppo)

 

O terapeuta explica que os chakras estão localizados ao longo da linha longitudinal do corpo com aberturas à frente e atrás, possuem cor e sons correspondentes. "Quando um dos chakras está em desarmonia, ele passa a não captar energia suficiente para o corpo, o que pode, com o tempo, ocasionar várias doenças", pontua. Para a ativação dos chakras, a energia Reiki, utiliza mantras (sons), cores, pensamento, sentimentos, toque direto ou indireto. "A energia Reiki é a reativação de um estado natural de harmonia que todo ser humano deveria ter. Trata-se da utilização da sabedoria Divina presente em todo o universo direcionada para a harmonização e cura", afirma. 

Dr. Gilmar explica que o Reiki é canalizado quando o terapeuta entra em ressonância com a energia cósmica e o universo, que flui pelo sistema de chakras, condensa-se em energia vital e é repassada para o cliente através da imposição de mãos. "A energia Reiki aumenta a frequência vibracional do organismo, o que, em Física, é aumentar sua quantidade de luz, que por sua vez gera o bom fluxo de íons e fluídos corporais, facilitando o bom funcionamento dos órgãos", explica. Segundo Gilmar, pesquisas comprovam que a terapia reduz significativa o estresse, ansiedade e depressão; promove a elevação crescente e acentuada da percepção de bem-estar; reduz a percepção de tensão e aumenta a qualidade de vida. Além disso, fortalece o sistema imunológico, por isso, um grande número de doenças pode ser combatido. 

De acordo com o especialista, o objetivo do Reike é auxiliar a ativação do sistema de auto cura presente em todo ser vivo a fim de restabelecer o completo estado de saúde física, mental, emocional, energética, espiritual e relacional do ser humano em comunhão com o universo. Trabalhando com Reiki há 18 anos, o terapeuta iniciou os trabalhando quando cursava faculdade de Fisioterapia.  "Quando fiz o meu primeiro curso de Reiki, senti em meu coração ter encontrado o meu caminho de vida. Me aprofundei e em menos de um ano conclui o mestrado em Reiki. Para entender melhor a terapia, tive que buscar informações sobre a natureza da energia em Física clássica e quântica", lembra. O terapeuta afirma que não existe um órgão representativo próprio, mas atualmente o Reiki já é uma terapia reconhecida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e pelo Ministério do Trabalho, onde cada terapeuta deve se cadastrar junto ao governo.

Natureza é aliada das terapias alternativas

Nilton Muto, 39, naturoterapeuta - ou terapeuta naturista - e biomédico, explica que as Terapias Alternativas fazem parte de um conjunto de racionalidades médicas e terapêuticas que utilizam os recursos naturais como tratamento. "As Terapias Alternativas receberam essa denominação por se tratar, inicialmente, de uma alternativa de tratamento 'convencional' da época. Atualmente, o termo alternativo, foi substituído por integrativa", explica. 
O naturoterapeuta explica que as diversidades das terapias refletem a expressão de um recurso natural na forma de terapêutica, podendo esses recursos ser: ar, água, terra (argila), alimentos naturais (frutas, verduras, cereais), luz/calor (Sol), atividade física, descanso e jejum; plantas e ervas medicinais; terapias manuais e oração/pensamento positivo. 

Dr. Gilmar Maia (Naiara Jinknss / Troppo)

 

Para Muto, a saúde de um indivíduo é o puro reflexo de ações diárias que, somadas ao longo de um tempo, refletirão num estado de saúde ou doença. "As terapias alternativas buscam corrigir preventivamente esses pequenos e importantes erros que cometemos dia-a-dia. A mudança para um estilo de vida saudável se faz no cultivo diário da nossa saúde. Quando cultivamos a saúde, os problemas relacionados a isso são reduzidos", afirma.

Muto afirma que as terapias alternativas possuem diversas origens e as técnicas e práticas foram ganhando adeptos e conhecimento ao longo da história de cada povo, por isso, cada local possui uma terapia mais conhecida. "Por exemplo, no Brasil, devido à miscigenação indígena e africana da população, a fitoterapia é muito conhecida e disseminada dentro da cultura popular e científica. Na China a acupuntura é bem semeada. Já na Alemanha e Itália a hidroterapia é que é muito procurada", exemplifica. O especialista afirma que a procura em Belém tem sido crescente. "Cada vez mais o público tem procurado cuidar do seu corpo através de vias mais naturais e preventivas", afirma. 
Outra técnica muito conhecida e praticada é a acupuntura. Tae Yeung Kim, conhecido como dr. Kim, 65, é acupunturista há 41 anos e há 28 anos mora no Brasil. Ele explica que a acupuntura consiste no diagnóstico e tratamento por meio de aplicação de estímulos em pontos específicos chamados meridianos, que depende do que se quer se tratar. "Há uma gama enorme de opções para estes estímulos como, por exemplo, o uso de agulhas, moxa (através do calor), uso de dedos, ventosas, eletricidade e sangria", descreve. 

Segundo Kim, a acupuntura é indicada para o controle da dor, como: hérnia de disco, nervo ciático, cefaleia e alívio da dor em pacientes com câncer. Além de ajudar contra estresse, ansiedade, depressão e insônia. "Basicamente, não há uma idade específica para se iniciar o tratamento com acupuntura. O meu público de clientes vem das mais diversas áreas e idades. Também trato cães, gatos e cavalos, o que mostra como essa terapia é ampla", pontua. 

Iego Rocha, 24, tinha dificuldade para acreditar em tratamentos holísticos, até conhecer a acupuntura. Ele faz tratamento de escoliose e devido a patologia sofre com fortes dores musculares e tensões. O jornalista conta que buscou diversos médicos, tratamentos, remédios, mas nada melhorava completamente o problema dele. "Uma amiga me indicou um terapeuta holístico que trouxe consigo um vasto conhecimento sobre essa ciência milenar. Eu pratico há 1 ano e meio. Nesse período tenho sentido cada vez mais meu corpo com menos tensão", afirma. 

Iego Rocha (Naiara Jinknss / Troppo)

 

Ele acredita que é importante compreender que existem muitas formas alternativas de tratamento e que às vezes podem ser mais eficazes e rápidas do que um tratamento convencional. "Eu, por exemplo, tentei fazer algumas sessões de RPG, mas não obtive sucesso nenhum. As dores musculares continuaram me acompanhando durante todas as tentativas, mas quando iniciei o tratamento com acupuntura logo senti a diferença no meu corpo e nos meus sentimentos. Terapias como acupuntura é o que eu recomendo para todos", pontua. 

São consideradas Terapias Alternativas, segundo o naturoterapeuta Nilton Muto 

- Oxigenoterapia
- Ozonoterapia
- Carboxiterapia 
- Hidroterapia
- Talassoterapia
- Crenoterapia
- Geoterapia
- Fangoterapia
- Argiloterapia
- Arenoterap
- Trofoterapia
- Oligoterapia
- Aromoterapia
- Helioterapia
- Magnetoterapia
- Termoterapia
- Yoga
- Qi gong
- Taichi chuan
- Lian Gong
- Bioenergética
- Clinoterapia
- Meditação
- Relaxamento e Respiração
- Fitoterapia
- Florais de Bach
- Homeopatia
- Massoterapia
- Quiropraxia
- Shiatsu
- Reflexologia
- Acupuntura
- Toque terapêutico
- Pensamento Positivo
- Visualização criativa
- Imaginação Ativa
- Mindfullnes

Troppo
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!