Trabalhar em casa é nova rotina

A pandemia do coronavírus exigiu isolamento social, fato que repercutiu diretamente na vida e rotinas profissionais de muitas pessoas, que agora, trabalham de casa

Flávia Freire

Uma das principais recomendações para evitar a proliferação do coronavírus é o isolamento social. E isso implicou em ajustar, dentre várias coisas, a rotina de trabalho e de estudos para dentro casa. Embora muitos empreendedores e profissionais liberais já tivessem familiaridade com o home office, ou teletrabalho, manter-se ativo e produtivo tem sido um desafio – especialmente para quem não estava acostumado. 

Para a jornalista Andreza Batalha, por exemplo, trabalhar à distância tem significado dividir a atenção entre trabalho, a casa, o marido, Wilson ea filha, Antonela. Desde o dia 19 de março, que ela tenta de adaptar à nova rotina. “Confesso que tem sido um pouco difícil, porque em casa somos dois adultos fazendo teletrabalho e uma bebê de 11 meses que está dando seus primeiros passos, abrindo gavetas e colocando os dedinhos nas tomadas”, relata.

Andreza Batalha (Acervo pessoal)

Para dar conta do trabalho, o casal, mesmo a contragosto tem lançado mão de uma estratégia: ocupar as atenções da pequenina com desenhos animados.“Em muitos momentos, precisamos ligar a TV para ela aquietar um pouco e a gente conseguir trabalhar. E ainda temos outra dificuldade: nesse mesmo tempo, precisamos arrumar e limpar a casa, além de fazer comida. Isso era algo que não queríamos, a gente tenta controlar o máximo, mas tem ajudado” comenta Andreza.

Antes do período de isolamento social, o dia a dia de Andreza era bem diferente. Ela diz que saía para trabalhar com tranquilidade. Uma pessoa ajudava nos trabalhos domésticos, enquanto Antonela era cuidada pela avó e uma tia. Agora, o casal se reveza por turnos para que cada um faça as suas obrigações enquanto o outro fica com a bebê. No momento da entrevista, por exemplo, Andreza estava trabalhando, enquanto o marido dava o lanche da filha. Depois, ele trabalharia, enquanto ela faria a criança dormir, o que dura entre 30 e 40 minutos. Nesse tempo, ela separa o almoço e arruma a casa. “Quando ela acordar, o Wilson brinca com ela e eu vou trabalhar.Damos uma pausa para fazer a comida. Dar o almoço dela e almoçar. À tarde, repetimos as tarefas”, explica. 

Mas, apesar das dificuldades, trabalhar em casa também está rendendo bons momentos para a família. “A vantagem do home office hoje é que estamos aproveitando muito o tempo com nossa filha, podemos acompanhar o desenvolvimento dela e ajudar nas descobertas. Quando precisamos sair para o trabalho, acabamos ficando muito tempo longe de casa. O trabalho não foi prejudicado, só exige um pouco mais de tempo para ficar pronto”, analisa a jornalista.

Para a advogada Kevenny Cunha, ter que trabalhar em casa não é novidade. Ela diz que com a implementação do processo eletrônico, é possível trabalhar de qualquer lugar com internet. Além disso, ela já atendia clientes por videochamada ou por aplicativo de mensagens. Mas há elementos novos exigindo adequação. “Creio que o TJ-PA nunca ficou com os prazos suspensos por um período tão longo como está acontecendo agora, o que faz com que a experiência do home office se torne nova, porque tivemos que criar outra dinâmica de trabalho para resolver as situações que estão surgindo”, afirma Kevenny.

Outro fator novo no home office é que toda a família está em casa agora. “Tem sido complicado, porque antes eu ficava sozinha em casa. Agora, está todo mundo junto. E interfere porque não tenho a concentração necessária. Eu tenho que limpar a casa, a internet fica caindo, enfim há outras demandas que concorrem com o trabalho” pontua a advogada.

Antes do isolamento, era possível dividir o tempo entre dias no escritório e outros para trabalhar de casa e fazer diligências. “O trabalho está prejudicado porque não estamos tendo muito contato com os clientes, que também nos procuram pouco porque os prazos estão suspensos, os processos não andam. Mas a verdade é que já perdi o ritmo de trabalho porque é difícil focar nisso e nesse momento há pouca coisa para fazer, de forma prática, em relações aos processos. Como dependemos que o judiciário, o Fórum e Ministério Público estejam funcionando, então o ritmo de trabalho fica prejudicado” lamenta.Nas últimas semanas, o tempo tem sido aproveitado para organizar atividades pendentes e para criar conteúdo para redes sociais do escritório. “Foi uma mudança total da rotina. O ponto positivo é a ausência de pressão em cumprir prazos. Não temos que correr contra o tempo para finalizar uma petição, de fazer e se preparar para audiências. Isso é positivo, mas também implica que não temos perspectiva financeira. O nosso trabalho é tudo isso, se não temos essas atividades, perdemos renda” fala Kevenny.

Perder renda também é uma realidade para Karinny Magalhães, social media, diretora de arte e videomaker de uma produtora de filmes. Mesmo compreendendo a necessidade do isolamento, a preocupação é real. “O que tem mais nos atingido no processo de adaptação é pensar na conjuntura do que tem acontecido no mundo, isolamento, da COVID-19 e pensar nas projeções de trabalho. Para quem vive de maneira autônoma, pensar que não sabemos muito bem como vai ser o futuro é uma preocupação, até porque trabalhamos sempre no agora. O principal desafio da adaptação é manter a sanidade mental, para se manter de pé, conseguir fazer os trabalhos e garantir o de amanhã” destaca. “Temos os nossos trabalhos e internos e de comunicação, mas não são serviços prestados. Os que geram renda são os externos, a projeção que temos agora é de cancelamento dos serviços para o restante de abril e estamos tentando nos adaptar para conseguir trabalho e executar de home office mesmo”. 

Ela está acostumada a trabalhar à distância, já queestá há três anos na produtora, mas morava em outro estado e só há alguns meses se mudou para Belém. “A gente sempre teve a oportunidade de flexibilizar o ambiente de trabalho. Em termos práticos, quem trabalha com computador e online, consegue fazer suas atividades em qualquer lugar”. 

Estar conectada tem sido fundamental para a manutenção de atividades, mesmo que todos os envolvidos estejam à distância. “A rotina antes era trabalhar coletivamente em um escritório e separávamos o tempo em trabalhos internos e externos. Tivemos que cancelar todos os trabalhos externos e focamos nas demandas internas. A internet ajuda muito para que a gente esteja sempre se falando, mas ainda é um pouco complicado por conta das projeções de trabalho. Isso abalou a estrutura de funcionamento da empresa” diz Karinny.

A social mediaconta que tem tentado planejar o seu dia a dia, acordando cedo para trabalhar, se vestir adequadamente, fazer listas de atividades. Assim como separar horários para pausas e fazer exercícios. “As vantagens do home office é se dar o tempo. Entender todas as necessidades de trabalho, mas sem pirar, se cuidar, recriar dinâmicas de trabalho que talvez nem estivessem funcionando e entender essas conjunturas. Estamos passando por um momento histórico. É uma dificuldade, mas um momento de muita reflexão para mudanças. Acredito que o mundo vai mudar depois disso tudo”, pondera.

Confira aqui algumas dicas para ser produtivo no home office

Dica 1: Crie processos de trabalho para o seu cérebro

Quando você trabalha em um escritório, a rotina diária de preparação e deslocamento ajuda o cérebro a se condicionar para as tarefas do dia. Se exercitar, ler notícias ou fazer café são alguns processos da rotina que apontam para "o dia começou". E mesmo em casa, pense em criar processos para incorporar a responsabilidade do trabalho na sua jornada remota.

Dica 2: Mantenha-se motivado com uma lista de tarefas

Uma simples lista de tarefas pode fazer milagres. Com ela você pode se manter mais organizado, motivado e produtivo enquanto trabalha em casa. Ao criar a sua lista, pense em grandes objetivos de longo prazo (concluir um projeto) e nos de curto prazo (concluir tarefas que levam você até o grande objetivo). Trabalhar diariamente é muito mais viável do que cumprir uma grande tarefa de uma só vez. Por isso, pense em estabelecer metas menores, permitindo que você visualize o quanto está progredindo. Ao longo do dia, elas também ajudam a fornecer um reforço positivo.

Dica 3: Estabeleça prazos para tudo

O trabalho remoto exige prazos tão sérios quanto os estipulados no escritório. Isso não significa que o seu dia deve ser preenchido inteiramente por obrigações relacionadas ao trabalho, afinal é importante fazer intervalos para um descanso físico, mental e emocional. Ainda assim, não se esqueça de incluir na sua agenda atividades que não estão relacionadas ao trabalho.

Dica 4: Crie um fluxo de colaboração

Trabalhar de forma remota pode parecer uma experiência solitária, mas na verdade costuma envolver muita colaboração com seus colegas de trabalho. Seja participando de videochamadas com sua equipe ou com parceiros externos, tomando decisões, determinando tarefas para outras pessoas e mesmo na hora dos feedbacks, trabalhar em casa não exclui interação. Por isso, é importante determinar um fluxo de colaboração enquanto você trabalha remotamente.

**Extraído do Think with Google

Troppo
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!