Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

'Somente a Verdade': Oliberal.com lança série audiovisual em novembro

Produção de mini documentário “Somente a verdade – Histórias de Polícia” terá cinco episódios na primeira temporada

O Liberal

O Grupo Liberal estreia no dia 11 de novembro, na área de vídeos LibPlay, em OLiberal.com, a série documental original "Somente a Verdade - Histórias de Polícia". A primeira temporada terá cinco episódios mensais. Cada minidocumentário contará um caso policial marcante no Pará e que recebeu cobertura jornalística dos veículos de comunicação do Grupo. A iniciativa integra a série de ações especiais que marcam os 75 anos do jornal O Liberal, celebrado em novembro de 2021. Nos próximos dias, será divulgado um trailer com imagens do documentário.

Assista abaixo ao teaser do primeiro episódio:

 

 

No primeiro episódio, intitulado "São José e os libertos - a história de Ninja", será narrada a história do espaço São José Liberto, que até 1998 era um presídio. Uma rebelião foi crucial para a desinstalação da penitenciária e transformação no atual Polo Joalheiro.

• Compartilhe esta notícia pelo Whatsapp
• Compartilhe esta notícia pelo Telegram

O público também terá a chance de conhecer melhor a vida do detento mais conhecido do ex-presídio e que foi um dos líderes da rebelião: José Augusto Viana David, o "Ninja". Com mais de 100 assaltos a bancos em todo país no “currículo”, onde a crueldade, violência e frieza era uma de suas marcas, “Ninja” acabou sendo preso em Cuiabá (MT). 

Com detalhes, o primeiro episódio da série vai abordar as diversas instalações que o então presídio já teve e os mistérios que ainda rondam o local. A produção conta em detalhes os relatos dos bastidores por quem acompanhou de perto a rebelião, como a diretora do presídio na época, Giani Salzer; do agente prisional que fez parte do motim, Favacho; e com jornalistas como o repórter Dilson Pimentel e o fotógrafo Cristino Martins.

• Veja mais notícias sobre Polícia

A série “Somente a verdade – Histórias de Polícia” é mais um novo conteúdo que passa a integrar a grade de produtos de jornalismo e entretenimento dos veículos de comunicação do Grupo Liberal. “O jornalismo de O Liberal é referência de credibilidade e inovação, com conteúdo em diferentes plataformas e em multitelas. Esta série é mais uma iniciativa que estamos avançando para oferecer mais conteúdo ao nosso assinante, leitor e internauta”, afirma Daniel Nardin, diretor de Conteúdo do Grupo Liberal. 

Produção reforça marca da inovação do Grupo Liberal

A iniciativa do Grupo Liberal tem como produtora a agência REC e Pascoal Gemaque, como jornalista responsável pelo roteiro, apuração e edição, além de Vinícius Macêdo na produção. "Apesar de ter a internet, demorou um tempo para documentar tudo. Mesmo conseguindo várias informações, buscamos a melhor fonte, que foram as pessoas que vivenciaram os fatos. Durante as entrevistas, muitos relatos se tornaram inéditos e tivemos que modificar o roteiro original", pontua Pascoal.

• Veja mais notícias sobre Cinema

Mesmo contando histórias todos os dias, Pascoal exalta a experiência de ter participado da série documental e a oportunidade de criar novas formas de narrativas. "Já são mais de 35 anos de jornalismo, mas é um novo desafio prazeroso, que a gente se reinventa e faz com prazer por levar uma história conhecida, mas contada de um jeito diferente e com detalhes às pessoas", aponta Gemaque.

Lembranças - Por quase 20 anos, Dilson Pimentel fez parte da editoria de polícia e conta que, na época, os desafios eram enormes. Sem redes sociais, o trabalho era feito, essencialmente, com dezenas de fontes nas ruas. "Eu já fiz muitas reportagens sobre casos que ganharam grande repercussão, mas por algum motivo que até hoje não consigo explicar, eu lembro até o nome completo do Ninja e a prisão dele que resultou numa operação com vários estados", relata o repórter.

• Compartilhe esta notícia pelo Whatsapp
• Compartilhe esta notícia pelo Telegram

Foi Dilson que ficou responsável pela cobertura da rebelião que ocorreu em um domingo, 1 de março de 1998, por volta das 15h. "Parecia que o Ninja queria marcar o nome dele no mundo do crime. Ele era considerado um homem muito inteligente e articulado. Quando finalizou o motim, entrei no presídio e comprovei o cenário catastrófico que ficou o local e mostrou bem o quanto foi violenta a ação na cadeia. Foi uma experiência muito marcante na minha carreira", relembra o jornalista.

Na ocasião, também estava presente o fotógrafo Cristino Martins e ele conta que noticiou outras ações do assaltante até a morte dele na rebelião. As fotos do Cristino Martins ganharam repercussão nacional. "Estou há 30 anos trabalhando como repórter fotográfico de O Liberal e as cenas que vivenciei naquele dia me marcaram profundamente. Até hoje, o desafio para cobrir assuntos policiais é enorme porque estamos lidando com pessoas arrogantes, que cometeram diversos crimes, mas precisamos realizar o nosso trabalho com respeito e verdade", pontua Cristino.

Nos próximos episódios, entre os diferentes casos que serão abordados na primeira e nas temporadas seguintes, está a história de Quintino da Silva Lira, a morte do então deputado Paulo Fontelles, do deputado João Batista, o caso dos "irmãos Mapará", o "Monstro da Ceasa", entre tantos outros.

(Karoline Caldeira, estagiária sob a supervisão de Victor Furtado, coordenador do Núcleo de Atualidades)

O Liberal
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!