Sindmepa inova e recorre à inteligência artificial para facilitar atendimento ao médico

Assistente virtual Syndi promete resolver problemas do dia a dia dos médicos e evitar aglomerações

Informe Publicitário

Nesta sexta-feira, 8, um novo conceito em atendimento estará sendo lançado pelo Sindicato dos Médicos do Pará (Sindmepa). Trata-se da assistente virtual Syndi, cujo nome é uma homenagem à própria organização que a criou, o Sindmepa.

Syndi é um chatbot com inteligência artificial criado para atender virtualmente as demandas de centenas de médicos que, diariamente, procuram o Sindicato para tirar dúvidas sobre sindicalização, boleto de pagamento de anuidade, plano de saúde, seguro de vida ou de bens, ações jurídicas, ações trabalhistas, cursos, entre outras necessidades.

Em tempos de pandemia, uma ferramenta que se mostra fundamental para evitar aglomerações e consequentes contágios. Com o auxílio da assistente, o público não precisará mais ir à sede do sindicato para resolver pequenos problemas do dia a dia. Bastará acessar o chatbot, hospedado no site da instituição, para tirar dúvidas, agendar consultas jurídicas, solicitar 2ª via de boletos de planos de saúde, procurar cursos de atualização, declarações de recolhimentos para o Imposto de renda, entre outros.

Além de atendimento 24h, a assistente virtual interage com a rede de outros parceiros, podendo remeter o médico a sites, endereços e uma série de serviços que têm parceria com o Sindmepa e valores diferenciados para médicos.

Treinada para responder a mais de 1000 perguntas, a assistente utiliza inteligência artificial para acumular conhecimento e ampliar seu vocabulário à medida em que novos questionamentos forem surgindo. Ela é considerada um robô bebê, e como uma criança vai “aprendendo” e atualizando sua memória para dar respostas cada vez mais complexas.

“Tentamos sempre com nossos robôs criar um diálogo humanizado, permitindo que a pessoa se sinta mais à vontade, como se estivesse, de fato, conversando com um humano”, explica Adozindo Neto, dono da Robot Gênesis, empresa desenvolvedora do chatbot.

Adozindo Neto, proprietário da Robot Gênesis 

Há 42 anos trabalhando na área de tecnologia de informação, ele ressalta que hoje o cliente não aceita mais dialogar com assistentes virtuais rígidos. “É o que chamamos de robôs quadrados, com conversas impostas, forçadas, sem fluidez”, explica.

O diretor financeiro do Sindmepa, Waldir Cardoso, um dos principais incentivadores da ideia, destaca o ineditismo da iniciativa: “O Sindmepa é o primeiro sindicato médico do Brasil a disponibilizar a ferramenta que, na verdade, poucas empresas e organizações têm, com a complexidade da nossa”, afirma. “A Syndi tem componentes de inteligência artificial que permitem que o diálogo seja bastante humanizado e vá aumentando sua capacidade de respostas ao longo do tempo”, acrescenta.

Diretor financeiro do Sindmepa, Waldir Cardoso 

Até mesmo o avatar criado pelo setor de marketing digital do Sindmepa remete à humanização da assistente virtual. De óculos e cabelos negros, lisos, ela é um protótipo amazônida, com todas as características locais.

Próximo de completar seus 40 anos (em 2021), o Sindmepa apostou nos investimentos em tecnologia e comunicação para se tornar uma entidade forte e atuante que tem em seus quadros quase 2.400 associados. Para enfrentar a pandemia disponibilizou atendimentos on line e uma linha direta com assessoria jurídica e um diretor de plantão 24 horas, o SOS Sindmepa (99989-3386). A assistente virtual é mais uma inovação na busca de simplificar o atendimento e facilitar a vida do médico.

Publieditorial
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM PUBLIEDITORIAL