Primeiro laboratório de desenvolvimento tecnológico é inaugurado pela CommScope, no Pará

Em parceria com o Cesupa, empresa de tecnologia oferece soluções para educação, saúde, cidades inteligentes, internet das coisas, entre outros setores

Dilson Pimentel

O Centro Universitário do Pará (Cesupa) fechou uma parceria de peso com a CommScope, gigante da área de tecnologia, e inaugurou, nesta quarta-feira (11), em Belém, o primeiro laboratório do Brasil da Ruckus Networking Academy.

Esse também será o primeiro laboratório do Pará a permitir desenvolvimento tecnológico, além de treinamento e consultoria, com parceria corporativa.

A iniciativa oferece tecnologia de ponta para atender à crescente demanda do mercado por profissionais qualificados na área de tecnologia, bem como desenvolver soluções para setores como educação, saúde, cidades inteligentes e internet das coisas, entre outros.

A CommScope pretende inaugurar mais três unidades do laboratório em outros estados do Brasil até o final de 2020.

"Com esse laboratório, os alunos e profissionais da área poderão ter acesso a novas tecnologias e criar sistemas inovadores como, por exemplo, soluções de conexão de dispositivos de internet das coisas", disse Marcos Dias, diretor de Vendas da Ruckus Networks no Brasil, empresa adquirida pela CommScope.

"A implantação de um laboratório desse porte no Cesupa tem para nós valor estratégico, pois, além de reforçar o compromisso institucional de promover formação de alto nível dos alunos em conexão com o mercado, certamente propiciará o desenvolvimento de práticas inovadoras de aprendizagem, ancoradas nesse novo ambiente", afirmou Sérgio Fiuza de Mello Mendes, reitor do Cesupa.

Marcos Dias falou destacou a parceria com o Cesupa. "A importância é extrema, porque hoje a sociedade está passando por um processo de transformação digital. Se a gente imaginar, em um passado recente, quando você falava: 'vou gravar esse arquivo pra te entregar', você pedia um cd, um disquete, um pen drive, para os mais modernos. E, hoje, você carrega isso na nuvem. Você chega em um determinado estabelecimento. E, como cidadão educado, a primeira coisa que você dá é bom dia. E a segunda coisa você pede a senha do Wi-Fi. Por que? Hoje, há o fenômeno da hiperconectividade. As pessoas precisam estar conectadas todo o tempo. O Brasil é um país extenso. Você não consegue ter uma cobertura adequada. O Wi-Fi tem um papel de extrema relevância", disse. "E a Ruckus é muito diferenciada porque o nosso Wi-Fi é de alta densidade, de alta performance.Para implantar isso, para manter, a gente precisa de pessoas capacitadas. O Brasil é um país grande. Nessa implantação, você vai precisar de profissionais preparados, porque, sem essa infraestrutura de base, você simplesmente não consegue rodar as aplicações. Se você quer acessar, Facebook, WhatsApp, esquece. Não vai funcionar. Enviar um vídeo, então... Algumas pessoas, infelizmente, já passaram por essa situação. Enviar um vídeo e não consegue conectar, não consegue fazer o upload".

CommScope: conhecimento e transformação digital

Segundo Marcos Dias, o laboratório é baseado em três pilares fundamentais: capacitação, desenvolvimento e consultoria. "Você tem várias cabeças brilhantes no Brasil, que, às vezes, terminam a academia. O que fazer? Pode-se arrumar um emprego em uma empresa ou desenvolver soluções inteligentes com as nossas estruturas de cabeamento e Wi-Fi, e entregar softwares que façam gestão, como, por exemplo, para o mercado de saúde, um sistema de gestão hospitalar, de localização de ativos. Questões como 'o médico está no hospital?' e 'onde está a máquina de ultrassom?' podem ser respondidas através da triangulação de sinal de Wi-Fi, para confirmar a localização de pessoas e equipamentos em tempo real. Isso tudo de uma forma automática e que pode ser desenvolvido aqui. Vi, com os professores daqui, uma série de projetos super interessantes", afirmou.

Ainda de acordo com o diretor de Vendas, "na medida em que você tem um centro de capacitação, você tem professores e alunos trabalhando em torno de projetos, cria um centro de excelência, cria um desenvolvimento. Quando governo ou instituições privadas precisam resolver uma demanda, seja na área de saúde, segurança, cidades inteligentes, o que fazem? Buscam quem tem esse conhecimento. Geralmente recorrem à academia, que é o caminho natural. A academia, inclusive, não só pode desenvolver e entregar soluções para a sociedade, como também pode ajudar, através de consultoria, o poder público e as instituições privadas a entregar soluções".

Marcos Dias, diretor de Vendas da Ruckus Networks no Brasil (Fábio Costa / O Liberal)

Sobre as diversas aplicações que podem ser desenvolvidas, destaque para a área de segurança, a Lei Maria da Penha. "A mulher que se sente ameaçada, aperta um botão. Pelo Wi-Fi, você sabe a localização e aciona a polícia, que vai verificar o que está acontecendo e apoiar essa cidadã", destaca Marcos. "Todo mundo fala em eficiência energética, de usar a energia de uma forma mais inteligente. Por exemplo: alunos em uma sala de aula. Através de sensores e sistemas inteligentes que detectam a presença ou ausência de pessoas no ambiente, a potência do ar condicionado pode ser alterada ou, eventualmente, pode-se desligar parte da iluminação. Tudo isso de forma automática", acrescenta.

O diretor também citou a área de hotelaria. "A fidelização de um hotel não é só pela condição da comida, da cama, do conforto. Se você vai em um hotel que não tem Wi-Fi, não tem conectividade, muito provavelmente você perdeu o cliente. É um investimento que o hotel faz. Dentro desse ambiente de hotelaria, trabalhamos com as principais redes mundiais, que são clientes nossos, em soluções do hotel inteligente. Você chega na portaria e o hotel já sabe quem você é, através do dispositivo móvel, e o conduz até o quarto. Chegando lá, através da internet, você liga a televisão no canal de TV que preferir, a luz na intensidade que você quer, temperatura do ar do jeito que você gosta. Uma customização automática. Isso aí, para vir para a casa do cidadão, são dois pulinhos. É uma coisa muita rápida. As transformações acontecem de uma forma muito acelerada. Daí a gente consegue ter uma ideia da amplitude e da necessidade dessa mão de obra especializada e do apoio consultivo de centros de referência, como esse que estamos estabelecendo aqui, através do Cesupa", conclui Marcos.

Cesupa: transformação pela educação

Reitor do Cesupa, Sérgio Fiuza de Mello Mendes, destacou a importância estratégica dessa parceria. "Nós já estamos há algum tempo, aqui no Cesupa, procurando transformar todo o processo de aprendizagem. O foco dessa transformação? Precisamos gerar competências no ambiente da formação, porque é isso que o mercado quer. Hoje, o mercado não pergunta mais para o jovem o que ele tem de conhecimento, o mercado pergunta o que ele sabe fazer com o conhecimento que ele apreendeu. É uma nova pergunta. Para que esse jovem foque na competência, o conteúdo é premissa. Saber fazer", explicou.

Este raciocínio leva ao que o reitor chama de uma educação transformadora. "Ela tem alguns pilares. Número um: nós precisamos mexer no ambiente, o ambiente físico, inclusive. Número dois: precisamos ampliar a sinergia com o mercado, não podemos mais construir matrizes curriculares sozinhos, mas em cooperação com o mercado. Número três: precisamos fazer do ambiente universitário um ambiente de oportunidades. A Argo (Ambiente Real de Geração de Oportunidades) do Cesupa, que é onde nós estamos, é um ambiente real de geração de oportunidades. E número 4: precisamos agregar um conjunto de competências, que estão, inclusive, anunciadas como competências do século XXI, das quais eu destacaria inovação, empreendedorismo, aplicabilidadecooperação".

Sérgio Fiuza de Mello Mendes, reitor do Cesupa (Fábio Costa / O Liberal)

"Dessa forma, com esses quatro pilares, a gente vai chegar à seguinte conclusão: não há como uma instituição educacional, hoje, pensar em caminhar que não seja fazendo alianças virtuosas", acrescentou Sérgio Fiuza. "É o que está acontecendo aqui, com essa parceria. Onde está a grande interseção? Quando o ambiente se transforma, torna-se uma oportunidade para os alunos não fazer trabalhos ou projetos 'por fazer', mas fazer projetos que vão gerar soluções para a sociedade. O urbano, hoje, está nos desafiando: segurança no ambiente urbano, as enchentes, a mobilidade urbana, o trânsito caótico. Temos ainda a questão ambiental, pois quando falamos de meio ambiente não falamos só da floresta. Como vamos enfrentar esses desafios todos? Com soluções".

Ainda segundo o reitor, "o nosso parceiro, que é gigante mundialmente, fala de transformação digital. Nós estamos falando de transformação na educação ou pela educação. A palavra que nos aproxima é transformar: o Cesupa tem como foco a transformação, pela educação, da vida desses jovens, para que eles tenham um propósito de vida. O aluno não vai mais fazer aquele trabalho para tira uma nota 10. Isso acabou, não faz mais sentido. Precisamos conferir significado à aprendizagem, e o que gera significado para essa galera de hoje? É se envolverem com bons projetos e fazerem suas entregas. Não é entregar um resultado, não é decorar para a prova. É um projeto de vida. Esta interface, o meio digital que nos é oferecido vai possibilitar que essa garotada, que são bons em criação, comece a pensar em soluções para tudo quanto é lado: energia, saúde, trânsito, mobilidade, bem-estar. E aí, se as conexões forem com a área pública, os gestores públicos terão mais condições de tomar decisões. Se for com a área privada, os gestores privados também terão mais condições de tomar decisões. Isso tudo porque os dados serão transformados em informação de boa qualidade. Estamos muito felizes com essa possibilidade, com esse convênio de cooperação".

Laboratório tem estrutura diversificada de soluções tecnológicas

O laboratório conta com uma estrutura diversificada de soluções tecnológicas, que compreende switches de alta performance com portas em cobre/fibra, PoE, access points indoor/outdoor, controladoras, SFP, rack e cabeamento estruturado. Também fazem parte do pacote o ImVision (Sistema de Gestão de Infraestrutura), softwares de analytics, localização e gestão de onboarding Wi-Fi.

A CommScope (NASDAQ: COMM) e as recém-adquiridas ARRIS e Ruckus Networks estão redefinindo o amanhã ao moldar o futuro das comunicações, com e sem fio. A equipe global, que combina colaboradores, inovadores e técnicos, capacita os clientes de todas as regiões do mundo a antecipar o que está por vir e a ultrapassar os limites do possível. Mais informações em CommScope.

Tecnologia de ponta e inovação são marcas da CommScope (Fábio Costa / O Liberal)

Genuinamente paraense, o Centro Universitário do Estado do Pará (Cesupa), tem 29 anos de existência no cenário da Educação Superior local.

Comprometido com os princípios de qualidade e de contemporaneidade, o Cesupa tem como missão formar profissionais de qualidade que dominem a realidade local e o contexto global, por meio de um projeto educacional inovador que conta com 16 cursos de graduação, três programas de mestrado, dois programas de residência e mais de 30 cursos de especialização. Mais informações em Cesupa.

Publieditorial
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!