Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Colégio Santa Rosa realiza homenagem aos professores

O Dia dos Professores, 15 de outubro, marca mais um mês de celebração rumo aos 90 anos da instituição de ensino

Dando continuidade à contagem regressiva mês a mês do Jubileu do Colégio Santa Rosa, celebrado todo dia 15, em outubro os festejos têm um significado especial por coincidirem com o Dia do Professor. Os educadores desempenham um papel importantíssimo no cumprimento da missão de multiplicar sabedoria e virtudes a gerações.

Uma vida dedicada à educação

Na trajetória dos 90 anos do Colégio Santa Rosa, a professora Coeli Rios dedicou 40 ao ofício de docente na instituição, seu primeiro e único emprego. “Eu ingressei na instituição das Filhas de Sant'Ana no ano de 1977 e permaneci até 2019. Considero a minha trajetória vitoriosa. O Santa Rosa foi o laboratório no qual exerci minhas mais ricas experiências. Hoje surpreendo-me positivamente com o tempo que dediquei à educação e com as possibilidades de crescimento profissional e humano que a instituição me proporcionou. Sinto um imenso orgulho de fazer parte dos 90 anos de história do Colégio Santa Rosa”, celebra a docente, que já está aposentada.

Segundo ela, a satisfação se deve, em parte, ao fato de perceber, ao longo de quatro décadas, que prática e discurso se complementam no cotidiano de alunos, professores e técnicos da escola. “O Santa Rosa acolhe como família e o modelo vivenciado diariamente, através das ações cristãs concretas, nos sensibiliza a compreender que é possível fazer a diferença na formação humana e acadêmica dos alunos. Com a proposta clara de educar todo homem e o homem todo - sem acepção de pessoas - o colégio se mantém fiel aos seus princípios de escola católica, com forte expressão na doação materna, própria do carisma de sua fundadora, a beata Madre Rosa Gattorno”, explica.

A professora Coeli Rios lecionou por 40 anos no Colégio Santa Rosa e destaca o crescimento profissional e humano proporcionado pela instituição de ensino (Arquivo Pessoal)

Entre as muitas experiências, Coeli coleciona episódios memoráveis. Entretanto, foi no início da docência, enquanto professora alfabetizadora, que ela recebeu as maiores manifestações de gratidão. Ela conta que, na época, era exigência que as crianças, ao serem aprovadas à série seguinte, já tivessem domínio de leitura e escrita. Além de estimular a criação de textos ao longo do ano, ela realizava uma aula solene para a leitura dos trabalhos, ao final do período letivo.

“Ao recolher pequenos textos, alguns bem singelos, onde se lia ‘Tia, eu te amo’; ‘Tia, eu já sei ler’, um impactou-me fortemente. Ele escreveu: ‘Tia, eu não sei ler. Eu quero continuar na alfabetização. Eu te amo’. Eu olhei para o autor do texto e compreendi o tamanho do meu papel na vida daquela criança. A negação de não saber ler não se justificava, pois ele apresentava o melhor texto da turma. Entendi que era o afeto e o acolhimento que o queria manter perto de mim”, lembra-se emocionada.

De aluno a professor

Durante essas nove décadas que serão completadas em janeiro, o Colégio Santa Rosa marca a história de alunos e, para alguns deles, o impacto é profundo. É o caso de André Teixeira que há mais de 30 anos sentava-se em uma das carteiras das salas de aula e posteriormente retornou à escola na condição de professor.

“Fui aluno da escola no Ensino Médio, cheguei para fazer o 1º ano e permaneci os três. Um ano depois, já cursando Filosofia, voltei como professor de Religião. Após a graduação, fiz o curso de Teologia. Costumo dizer que são 31 anos de história com o Santa Rosa, sendo 28 como professor. Trabalhei em vários outros lugares, atuo no Estado, mas digo que o Santa Rosa é onde me sinto em casa, onde aprendi a ser professor, o valor de dar aula, da educação, de quanto é importante a ação de transformar em realidade os sonhos dos alunos”, avalia André.

André Teixeira foi aluno do colégio e hoje dá aulas de Ensino Religioso e Filosofia na instituição (Arquivo pessoal)

Assim como ele, não é raro encontrar outros ex-alunos referindo-se à instituição como um lugar onde as pessoas foram e são muito felizes. A mudança de posição de aluno a professor lhe deu uma visão privilegiada. “Aqui no Santa Rosa, o professor se coloca à frente do aluno para que ele sinta que está do lado do aluno. Para conduzir cada um, mas para que ele saiba que estou do lado dele. Temos por princípio seguir o que Madre Rosa nos ensinou: a doação materna, a capacidade da mãe de proteger, corrigir, ajudar a viver os sonhos, espírito de família. E mesmo sendo professor e vivendo a experiência da paternidade,aprendemos com Madre Rosa um pouco do dom da maternidade”, reforça o professor.

Entre os desafios mais recentes de André, ele destaca que é impossível não pensar na pandemia de covid-19 que colocou o ensino remoto como uma obrigatoriedade, alterando o dia a dia educacional como nunca. “A pandemia foi ao mesmo tempo um grande desafio, porque o professor precisou reaprender a como dar aula, interagir, adotar um conjunto de tecnologias para a prática, e humanizar tudo isso, permitindo esse vínculo que nos permite estar próximo do aluno mesmo estando distante”, avalia o docente.

Celebrar e resistir

Para André, é difícil dissociar o ofício de sua personalidade e isso reforça a importância de celebrar o 15 de Outubro. “Ser professor não é apenas o que eu faço. É o quem sou. Não deixo de ser quando saio da escola, quando estou em casa, na praia, até mesmo porque esquecemos o próprio nome, de tanto que nos chamam apenas por professor. Esse é o grande legado para que ele comemore. É sempre professor. Temos uma profissão que é capaz de transformar em realidade aquilo que o aluno mais deseja. E isso vai além da formação acadêmica. Ajudamos a transformar pessoas”, pontua o docente.

Educadores do Colégio Santa Rosa se preocupam em desempenhar o importante também de formar o aluno em sua integralidade, desde a Educação Infantil, com valores éticos e humanos (Divulgação)

A professora Coeli, do alto de sua sabedoria, deixa uma mensagem aos eternos colegas. “Aos professores, digo que celebrem os pequenos avanços conquistados coletivamente, enquanto sonham com as grandes vitórias que, inevitavelmente alcançarão. Resistir ao comodismo engessado das práticas pedagógicas e aventurarem-se na transformação, através da Educação”, reforça a aposentada.

Programação do Jubileu

Prestes a completar 90 anos de fundação, o Colégio Santa Rosa celebra a data com nove ações a cada mês e convida pais e alunos a conhecerem a instituição, que alia tradição ao mesmo tempo em que acompanha as evoluções tecnológicas. Desde maio até o dia 15 de janeiro de 2022, a comunidade técnica, docente e estudantil está em contagem regressiva.

Para conhecer o Colégio Santa Rosa, agende sua visita clicando aqui.

Conteúdo patrocinado
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!