Albras e Alunorte celebram 35 e 25 anos produzindo alumínio no Pará

Planejando o futuro, as empresas investem no desenvolvimento sustentável da região e das pessoas.

Informe publicitário

Caminhando juntas, as atividades da refinaria de alumina Alunorte (Hydro) e da fábrica de alumínio primário da Albras, que é uma joint-venture entre a Hydro e a Nippon Amazon Aluminum Co. (NAAC), se complementam na cadeia de produção do alumínio. Localizadas em Barcarena, as plantas completaram essa semana 25 e 35 anos de operação respectivamente, aliando tecnologia e investimentos para o desenvolvimento sustentável da região que vai além das unidades, alcançando empregados, familiares e as comunidades vizinhas.

Sempre preocupada com a modernização de suas operações, a Alunorte já realizou três expansões que ampliaram a sua produção até alcançar a marca de 6,3 milhões de toneladas de alumina por ano, o que corresponde a 7% do que é produzido no mundo. 

Michel Lisboa, diretor industrial da Alunorte, fala sobre a trajetória da empresa e sua atuação no crescimento da região: “Em 25 anos de história, a Alunorte busca se renovar continuamente para ter uma produção eficiente e responsável. Temos a sustentabilidade como prioridade, investimos em tecnologias avançadas e em iniciativas que tornam nossas operações ainda mais modernas e seguras. Nos últimos anos, desenvolvemos diversas ações com objetivo de sermos um bom vizinho em Barcarena, onde vivemos.”

Já o alumínio fabricado pela Albras é comercializado, ainda em forma líquida, a um cliente de Barcarena, que o utiliza na produção de cabos, garantindo a verticalização do metal no Pará. Por ano, a Albras produz cerca de 460 mil toneladas de alumínio, e cerca de 70% dessa produção é destinada ao mercado interno. Além disso, a empresa destina lingotes de alumínio ao mercado externo e trabalha com ligas tradicionais de alta pureza, utilizadas na fabricação de cabos e motores elétricos, perfis de alumínio para construção civil, e até mesmo utensílios de cozinha.

“A Albras é uma empresa que tem participado do desenvolvimento do Pará e do município de Barcarena ao longo de sua trajetória. Estamos buscando sempre as melhores tecnologias e inovações disponíveis para que nossa operação seja referência na cadeia do alumínio.”, afirma João Batista Menezes, presidente da Albras. Ele acrescenta: “A nossa empresa é feita por pessoas que encaram os desafios e isso é muito importante para nós. Nossos empregados se dedicam a executar as melhorias no processo industrial, todos os dias, para entregarmos um produto de qualidade e com respeito ao meio ambiente e às pessoas”.

No ritmo do desenvolvimento, empregados avançam junto com as empresas

As empresas têm investido em tecnologia e inovação e no aprimoramento de suas equipes. Maior produtora de alumínio primário do Brasil, a Albras desenvolve a liga PFA (Primary Foundry Alloy) que conta com a adição de 7% a 11% de silício em sua composição. A liga, desenvolvida para atender a indústria automotiva, foi destaque na última Feira da Indústria do estado do Pará (FIPA). Utilizada na produção de cabos elétricos e pistões para motores de automóveis e aeronaves, o lançamento dessa nova liga reforça o compromisso da empresa com a verticalização da cadeia do alumínio no Pará.

Essa inovação representa um avanço para a região e um crescimento na carreira de muitos de seus empregados, que recebem treinamentos especializados para lidar com as mais novas tecnologias da indústria.

Bianca Medeiros é uma das engenheiras responsáveis por esse novo produto: "Esse projeto contribui muito para meu desenvolvimento pessoal, visto que envolve o desenvolvimento de uma liga de mercado que precisa atender toda a qualidade exigida pela indústria automotiva." Ela conta que o aprendizado tornou sua equipe mais forte e preparada: "O mais importante foi a gestão da equipe para o novo desafio e treinamentos para buscar a excelência, algo hoje conquistado com muito esforço, engajamento e competência de todos os envolvidos."

Os processos da liga PFA expandiram os conhecimentos da engenheira Bianca (Divulgação)

Na Alunorte não é diferente. A engenheira de processos Denise Rodrigues trabalha com o Filtro Prensa, que é uma das tecnologias mais avançadas no tratamento de resíduos sólidos e é considerada uma das mais seguras do mundo.

“Me sinto orgulhosa de trabalhar em um projeto como esse, com alta tecnologia,  que torna nossas operações muito mais robusta e ainda mais segura”. - Denise Rodrigues, engenheira de processos da Alunorte. 

Os esforços para desenvolver talentos não se limitam aos empregados das empresas. Tendo investido mais de R$ 10 bilhões em tecnologia e inovação nos últimos 10 anos para fomentar o desenvolvimento de parceiros locais. Como iniciativa da Hydro, o Programa de Desenvolvimento de Fornecedores oferece mais de 60 horas de capacitação em diversas áreas. O empresário Vitor Fontaim conta sobre a experiência de sua empresa no programa: "Quando começamos a participar nós tínhamos em torno de 100 funcionários, hoje temos 167. Estamos mais estruturados e ficamos mais competitivos no nosso processo.” afirma.

Dessa mesma forma, em parceria com a Açaí Valley, que incentiva a criação e desenvolvimento de novas startups na região, unindo a busca por inovação da empresa com a formação de novos empreendedores. 

Histórias infinitas: conheça algumas das pessoas que fazem a história do alumínio no Pará

O aniversário das operações também é uma celebração da trajetória daqueles que contribuíram para seu crescimento. Em comemoração às datas, a Alunorte e Albras lançam nas redes sociais da Hydro a websérie #HistóriasInfinitas que, semanalmente, contará as histórias de quem contribuiu para a trajetória da cadeia do alumínio no Estado.

O técnico de processo Ronaldo Larry, um dos pioneiros na Albras, será um dos personagens da websérie. Quando ele chegou à Barcarena, a empresa acabava de se instalar no Pará e, junto com ela, Ronaldo dava início à uma nova etapa: “As dificuldades foram grandes, mas a vontade de crescer profissionalmente foi muito maior”, conta. Residente da primeira casa na Vila dos Cabanos, bairro de Barcarena, Ronaldo cresceu junto com a empresa: “O meu sentimento é de dever cumprido; sou muito satisfeito por ter acompanhado as mudanças de Barcarena e construído minha família neste lugar”.

Carlos trabalhou na Albras e na Alunorte. Hoje sua filha segue seus passos (Divulgação)

 

Danielle Abrantes também terá sua trajetória contada na websérie. A planejadora de logística seguiu os passos do pai e se candidatou para trabalhar na mesma empresa que ele, Carlos Abrantes, gerente de Almoxarifado e empregado das plantas desde a abertura. Carlos conta sobre a sensação de relembrar 25 anos de trajetória: “Sinto orgulho de trabalhar na Alunorte e agradeço por tudo o que aprendi quando atuei na Albras como gerente de Operação e Manutenção do Porto. Recomendo as duas empresas como uma escola profissional para quem queira desenvolver a sua carreira”.

  • Conheça outras histórias como essa na websérie “Histórias Infinitas”, nas redes sociais da Hydro no Facebook, Instagram & LinkedIn.

Projetos que apoiam o desenvolvimento das comunidades

O cuidado e colaboração da Albras e da Alunorte se estendem também às comunidades. As empresas acreditam que suas atividades devem fazer uma diferença positiva para as pessoas, os negócios e para o meio ambiente. Isso acontece por meio dos projetos de investimento social privado mantidos pelas empresas, que têm como foco três objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU: educação de qualidade, trabalho decente e crescimento econômico e paz, justiça e instituições eficazes. Além de um mecanismo financeiro criado recentemente para apoiar o desenvolvimento territorial, o Fundo de Sustentabilidade Hydro (FSH).

Com a missão de alavancar iniciativas e dinâmicas territoriais participativas, o Fundo de Sustentabilidade Hydro é uma organização sem fins lucrativos que promove o desenvolvimento sustentável e apoia projetos de base comunitária. Com investimento de R$ 100 milhões, a iniciativa desenvolvida pela Hydro, Albras e Alunorte contribui desde 2019 com ações em prol do desenvolvimento sustentável de Barcarena ao longo de 10 anos. A definição das diretrizes dos investimentos feitos pelo Fundo de Sustentabilidade Hydro é feita em parceria com a sociedade civil organizada, em processos participativos e por meio de diálogos abertos.

A Hydro desenvolve 10 projetos sociais no Pará. Somente em 2019, esses projetos atingiram mais de 15 mil pessoas. São atividades importantes para as sete localidades onde a Hydro atua no Pará, com foco em educação, capacitação, geração de renda, fortalecimento institucional, sustentabilidade, entre outros. 

Um dos exemplos de um passo importante para o desenvolvimento sustentável é a recém-aprovada Lei Municipal de Educação Ambiental de Barcarena, que é fruto do diálogo gerado pelo programa Sustentar Barcarena, uma realização da Hydro e da Albras junto com a prefeitura local. Dentre os objetivos do programa estão a inclusão social de catadores e a construção de uma unidade de triagem de materiais recicláveis no município. Mais de 1000 pessoas já participaram das capacitações do programa, que mesmo durante a pandemia manteve-se de forma virtual.

É o compromisso e o respeito com os direitos de todos os indivíduos das comunidades que impulsionam projetos como o Ativa Barcarena, que incentiva e oferece subsídio técnico para a agricultura familiar das comunidades vizinhas às operações. Buscando reconhecer e potencializar as bases econômicas do município a partir do diagnóstico da fertilidade dos solos agricultáveis, o programa já verificou a situação socioprodutiva de 300 famílias no município. Ainda este ano, o projeto vai começar o ciclo de um ano de assistência técnica rural, com apoio profissional às atividades produtivas familiares de 90 produtores rurais. Nesta etapa, será mapeada a produção agrícola armazenada no período da pandemia da Covid-19 de agricultores familiares do município para compra e posterior doação às associações comunitárias de famílias em maior vulnerabilidade social no município.

“Temos realizado vários programas sociais. O nosso compromisso é criar uma sociedade mais viável, e sabemos que a geração de renda é uma das ferramentas para redução da desigualdade”, afirma a gerente sênior de responsabilidade social da Hydro, Luana Carvalhosa.

Essa fase do projeto Ativa Barcarena também conta com o apoio do Fundo de Sustentabilidade Hydro (FSH).

Publieditorial
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM PUBLIEDITORIAL