Em tempos de pandemia, descarte precisa seguir segurança contra covid-19

Equipamentos usados, como máscaras e luvas, oferecem risco à saúde dos catadores quando descartados junto com materiais recicláveis

Valéria Nascimento

Do papel ao computador. Quem trabalha com a reciclagem nas ruas sabe que a sujeira pode inviabilizar o aproveitamento do material. Em tempos de pandemia, os riscos à saúde são altíssimos por materiais descartados como as luvas e máscaras de proteção utilizadas para conter a propagação do novo coronavírus.

O projeto Liberal Mobiliza, do Grupo Liberal, que conta com apoio da Guamá Tratamento de Resíduos, procurou saber mais sobre o descarte correto dos resíduos recicláveis com a presidente da Associação de Catadores da Coleta Seletiva de Belém (ACCSB), Maria do Socorro Ribeiro, e com a gestora ambiental e presidente da Cooperativa dos Catadores de Materiais Recicláveis (Concaves), Débora Baía. 

Catadores dependem das doações, mesmo em meio à pandemia (Tarso Sarraf / Arquivo O Liberal)

Neste período da pandemia da covid-19, Débora faz um apelo à solidariedade das pessoas para que ajudem a proteger a saúde dos catadores e trabalhadores da limpeza pública.

"Pedimos à população que não coloque junto com os materiais recicláveis ou no lixo comum, as luvas de látex ou de qualquer outro tipo, as máscaras de proteção, lençóis, lenços de papel, lenços umedecidos, papel higiênico ou objetos utilizados em tratamentos contra a covid-19, para evitar contaminação de catadores e dos garis da prefeitura", diz a gestora ambiental.

Atualmente, Belém tem um total de cinco cooperativas, duas associações e novos quatro grupos em formalização, todos recebem apoio logístico da Prefeitura de Belém. 

A Associação Brasileira de Embalagem de Aço (Abeaço) reitera o pedido da presidente da Concaves. A entidade ressalta que os objetos usados para proteção individual, além de não serem recicláveis, podem colocar em risco a saúde dos trabalhadores. 

A recomendação é de que as pessoas coloquem esse tipo de resíduo num saquinho à parte para que não haja riscos de contaminação. Máscaras, luvas e lenços podem ser colocados em lixo comum, desde que sejam separados do restante resíduo domiciliar. "Caso você descarte esses materiais, identifique-os, pois tanto os catadores quanto os garis terão contato com eles", alerta Débora.

LIMPEZA

Gestora ambiental, Débora Baía observa que não há uma frequência regular para a coleta seletiva feita pelos grupos organizados e mesmo por catadores individuais, por isso, ela frisa a importância de se higienizar as embalagens recicláveis, em geral, logo após o consumo dos produtos.  

"A pessoa acondiciona em sua residência até o dia da coleta, e quando não lavados esses materiais recicláveis podem atrair insetos e roedores, além de contaminar os demais materiais, dificultando a triagem feita pelos catadores e até mesmo a destinação para a reciclagem", diz a presidente da Concaves.

Separar o lixo parte da mudança de hábitos

Material reciclável precisa estar separado dos equipamentos de proteção individual usados para evitar contaminação dos catadores (Oswaldo Fortes / Arquivo O Liberal)

A presidente da Associação de Catadores da Coleta Seletiva de Belém, Maria do Socorro Ribeiro, também recomenda a lavagem das embalagens, principalmente, as de longa vida, as chamadas Tetra Pak, expressão em inglês que significa pacote ou embalagem.

Maria do Socorro pontua que se não for possível lavar é necessário armazenar os materiais em locais secos até o dia da coleta. "Esse gesto simples facilita muito a triagem nos galpões das cooperativas". Ela informa ainda que não é preciso amassar as latinhas de alumínio. 

"Também não é preciso separar a tampa da garrafa nem separar o lacre da latinha de alumínio, não. Os eletrônicos? Eles podem ser separados e entregues junto com o restante dos recicláveis", explica Maria do Socorro. 

Por sua vez, Débora Baía, da Concaves, comenta que fazer a separação do lixo para a coleta seletiva é fácil, mas requer mudança de hábitos. "Você precisa ter apenas dois coletores. Um para o orgânico que são os restos de alimentos, como as cascas de frutas e verduras; outro, para o reciclável como os plásticos e os metais".

Ela salienta que o papel pode ser rasgado e armazenado em uma sacola para não misturar com os demais materiais, as caixas de papelão podem ser abertas e dobradas para diminuir o volume e todos os recicláveis podem ir para o mesmo coletor. Ela diz que é na cooperativa que deve acontecer uma triagem mais específica. 

"Atualmente a cooperativa está aceitando os materiais eletrônicos como CPU, monitor, televisores, controles remotos, cabos e fios de cobre, mouses, impressoras, placas e  nobreak", disse a presidente da Concaves.

POPULAÇÃO

Ângelo Castro, diretor da Guamá Tratamento de Resíduos, também comenta a importância da população colocar em prática seu papel dentro do artigo 3º  Inciso XVII da Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305/2010), que trata sobre a Responsabilidade Compartilhada pelo Ciclo de Vida dos Produtos: "É fundamental que a população se conscientize, cada vez mais, sobre a importância do papel dela em identificar e separar os materiais que podem ser reaproveitados ou reciclados.". 

Essa boa prática, segundo ele, pode começar desde a escolha da compra de um produto, privilegiando embalagens reaproveitáveis, até a separação de materiais dentro de casa, para destinar a cooperativas de coletas de recicláveis. "Desta forma, contribui para reduzir o número de resíduos com potencial de reaproveitamento que chegam ao aterro sanitário, garantindo vida mais longa para esses empreendimentos, e colabora com a geração de emprego e renda para os profissionais de cooperativas de recicláveis".

SERVIÇO

Como colaborar com a coleta seletiva em Belém:

Associação de Catadores da Coleta Seletiva de Belém (ACCSB)
(91) 98918-2189
(91) 98097-4923
(91) 98810-9700
(91) 98104-5727

Cooperativa dos Catadores de Materiais Recicláveis (Concaves)
(91) 98116-6185
(91) 98828-7636
concaves@gmail.com
concaves.brasil

Dicas para o descarte correto de recicláveis

► Higienize as embalagens recicláveis, em geral, logo após o consumo dos produtos;
► Armazene os recicláveis em local limpo e seco;
► O papel pode ser rasgado e armazenado em uma sacola, para não misturar com os demais materiais;
► As caixas de papelão podem ser abertas e dobradas para diminuir o volume; 
► Não é preciso separar a tampa da garrafa nem separar o lacre da latinha de alumínio;
► Os eletrônicos podem ser separados e entregues junto com o restante dos recicláveis;
► Em casa, tenha um coletor para os orgânicos, que são os restos de alimentos, e outro para os recicláveis, como os plásticos e os metais.

Notícias
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!