Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

A educação ambiental como ponto de equilíbrio necessário para eficácia econômica

Vanusa Carla Pereira Santos

A partir da década 90 houve uma intensificação da preocupação com o meio ambiente. A racionalidade econômica da economia de mercado, onde tudo e todos devem produzir o tempo todo, na busca da lucratividade e do crescimento ilimitado, direcionado ao mercado, onde tudo é mercadoria, sobreviveu até aqui. A lógica da mercantilização, que orienta os indivíduos e as relações sociais, hoje tem sido pensada como produtora da crise ambiental na qual o mundo está mergulhado. 

Assim, os problemas ambientais surgem nas tomadas de decisões, tanto por cidadãos comuns como por empresas e cada vez mais aumenta a percepção da sociedade de que o meio ambiente apresenta sinais de esgotamento e é necessário que os cidadãos saibam o que fazer para modificar essa tendência de degradação da natureza, iniciando um processo de construção de um futuro de sustentabilidade econômica, social e ambiental que queremos, pois o futuro da humanidade depende da relação estabelecida entre o homem e a natureza, porque a degradação e a contaminação ambiental, ocorridos ao longo do tempo têm demonstrado a falência de um modelo de desenvolvimento que priorizou os interesses econômicos em detrimento dos interesses socioambientais. 

Diante deste cenário de crise econômica e de incertezas, a educação ambiental se constitui num dos instrumentos de maior eficácia para a conscientização da sociedade. Partindo do princípio de que não se pode mudar o passado, mas que a construção de um futuro melhor depende de uma mudança radical de atitude e de postura atual com relação às questões ambientais e sociais, há necessidade urgente de serem desenvolvidas ações que contribuam para a formação de uma nova mentalidade de cidadãos conscientes de seus direitos e deveres e com postura ética e responsável em relação ao meio ambiente e às pessoas, e que sejam agentes de transformação social.

A educação ambiental é essencial neste processo de conscientização sobre a importância do cuidado com o meio ambiente, onde o indivíduo e a coletividade constroem valores sociais, conhecimentos e habilidades, atitudes e competências voltadas para conservação do meio ambiente, bem de uso comum do povo, essencial à qualidade de vida e sua sustentabilidade. O uso sustentável dos recursos ambientais é uma necessidade cada vez maior da humanidade, visando garantir uma qualidade de vida adequada para a população atual e as futuras gerações. O desenvolvimento de uma consciência ecológica é de fundamental importância para a construção de um modelo de desenvolvimento em bases sustentáveis.

Neste sentido, há uma necessidade clara de transformação do pensamento puramente econômico atual para uma questão mais ampla que é o desenvolvimento sustentável, buscando novamente o equilíbrio que existia entre o homem e a natureza, resgatando as florestas, os rios, combatendo a poluição e recuperando o que já foi desgastado, logo é preciso mudar de atitude para preservar a natureza. 

Vanusa Carla Pereira Santos – Professora da Faculdade de Ciências Econômicas/ICSA/UFPA. Coordenadora do Grupo de Pesquisa em Meio Ambiente e Sustentabilidade – GEMAS/UFPA.

Palavras-chave

Artigos
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!