Grupo Liberal e Fundação Romulo Maiorana recebem Medalha do Jubileu de Prata da Abfip

A condecoração é uma forma de homenagear todos que trabalham a serviço da Pátria, sejam militares, civis ou autoridades eclesiásticas

João Thiago Dias

O Grupo Liberal e a Fundação Romulo Maiorana estiveram entre os condecorados, na noite deste sábado (07), com a Medalha do Jubileu de Prata da Associação Brasileira das Forças Internacionais de Paz (Abfip) da Organização das Nações Unidas (ONU), de São Paulo, durante solenidade de outorga realizada na Convenção Interestadual de Ministros e Igrejas Evangélicas Assembleias de Deus no Estado do Pará (Comieadepa), em Belém.

A programação foi uma parceria com a Academia de Capelania Pré-Militar do Brasil (Acpmb), que, na ocasião, realizou a formatura de uma nova turma do curso de formação e especialização em Capelania Pré-Militar e Eclesiástica.

A Medalha do Jubileu de Prata destina-se a premiar e reverenciar o culto aos nobres atributos daqueles que tenham praticado ações meritórias enaltecedoras do nome da Pátria Brasileira que é detentora do Prêmio Nobel da Paz 1988 e 2001, perante as demais nações e em sinal de reconhecimento aos valores militares, espírito de civismo, preservação da memória e serviços prestados à Pátria.  

Autoridades militares, civis e eclesiásticas receberam a homenagem. O diretor de mercado do Grupo Liberal, Mauro Cleber Brito, representou o grupo e recebeu a medalha que reconheceu o trabalho de comunicação integrada, desenvolvido por meio dos jornais impressos O Liberal e Amazônia, das rádios e do portal de notícias OLiberal.com, como referência de jornalismo.

"Essa medalha representa todo um grupo de trabalho da redação integrada, incluindo todas as equipes dos jornais, todos os locutores e a equipe do portal, que completou um ano recentemente. É o reconhecimento dos serviços prestados na Amazônia. Um time inteiro está representado nesta noite", destacou Mauro. 

A medalha foi entregue pelo comandante geral da Federação Pré-Militar do Estado de Minas Gerais (FPM/MG), o coronel pré-militar Júlio Cesar de Mello, que estava representando a Abfip. Ele explicou que a outorga de medalhas é alusiva aos primeiros militares que foram para o Batalhão de Suez, no Oriente Médio.

Em 27 de janeiro de 1957, o primeiro contingente brasileiro das Forças de Paz da ONU deixava o Rio de Janeiro, seguindo com destino à região de Suez, no Egito, onde o Brasil iria compor a Força de Emergência das Nações Unidas. A participação brasileira foi coroada de êxito.

"É uma forma de condecorar todos que trabalham a serviço da Pátria, sejam militares, civis ou autoridades eclesiásticas. Foi a primeira vez que realizamos a condecoração no Pará. Era uma necessidade que a Abfip sentia, pois as homenagens eram muito no Comando Militar do Leste. Resolvemos aplicar o acesso ao Norte e Nordeste com apoio do Exército Brasileiro", explicou o coronel pré-militar.

O coronel de Infantaria João Roberto Gobert, que recebeu a medalha representando o Comandante Militar do Norte, general Paulo Sérgio Nogueira, destacou a importância de expandir a condecoração.

"A Abfip é uma instituição reconhecida de entusiastas com atuação do Brasil em operações de paz da ONU, mas ainda pouco conhecida no Norte. Mas a Abfip e a Acpmb estão iniciando uma parceria que deve frutificar", comemorou.

O Liberal
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!