Governo do Pará proíbe circulação de embarcações com passageiros vindos do Amazonas

Um decreto estadual será publicado nesta quinta-feira com a proibição, que é uma medida preventiva para conter a covid-19

João Thiago Dias

O governador do Pará, Helder Barbalho, anunciou na noite desta quarta-feira (13), por meio de um vídeo publicado na conta pessoal dele no Twitter, que será publicado nesta quinta-feira (14) um decreto proibindo a circulação de embarcações com passageiros entre o Pará e o Amazonas. Segundo o governador, essa é uma medida preventiva para conter o contágio do coronavírus no estado.

"Um decreto estadual no dia de amanhã, proibindo a circulação de embarcações com passageiros vindos do estado vizinho, do Amazonas. Isto é uma medida preventiva e fundamental para que possamos evitar a ampliação do contágio dentro do estado do Pará e, consequentemente, os problemas em saúde em face à pandemia do coronavírus", disse o governador.

"A partir de amanhã (13), as nossas fronteiras estarão fechadas para o estado do Amazonas, com monitoramento da Polícia Militar do estado, com embarcações e aeronaves, para que possamos fazer cumprir esta medida preventiva de restrição para proteger a nossa população", completou Helder Barbalho.

De acordo com a Secretaria de Comunicação do Estado do Pará, a circulação por transporte aéreo, com passageiros do Amazonas, também está em pauta para restrições. "Amanhã, o governador do Estado Helder Barbalho também deve formalizar junto à Infraero a proibição da circulação de passageiros via transporte aéreo no Pará, com origem do Estado vizinho, o Amazonas".

Aumento de casos no Amazonas

A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), por meio do boletim diário de covid-19 desta quarta-feira (13), confirmou o diagnóstico de 1.474 novos casos da doença, totalizando 219.544 casos no estado. Foram confirmados 69 óbitos em decorrência da doença, sendo 41 ocorridos no dia 12 de janeiro e 28 encerrados por critérios clínicos, de imagem, clínico-epidemiológico ou laboratorial, elevando para 5.879 o total de mortes.

Entre os casos confirmados, há 1.564 pacientes internados, sendo 1031 em leitos (449 na rede privada e 582 na rede pública), 501 em UTI (208 na rede privada e 293 na rede pública) e 32 em sala vermelha, estrutura voltada à assistência temporária para estabilização de pacientes críticos/graves para posterior encaminhamento a outros pontos da rede de atenção à saúde.

Há, ainda, outros 540 pacientes internados considerados suspeitos e que aguardam a confirmação do diagnóstico. Desses, 422 estão em leitos clínicos (148 na rede privada e 274 na rede pública), 87 estão em UTI (63 na rede privada e 24 na rede pública) e 31 em sala vermelha.

Com o aumento expressivo de casos, o Governo do Estado suspendeu, na terça-feira (12), os serviços de transporte fluvial e rodoviário em todo o Amazonas, além do funcionamento de marinas e academias, mantendo apenas o transporte de cargas. A medida seguirá  até o dia 17 de janeiro, obedecendo decisão liminar do dia 2 de janeiro, a qual estabeleceu o fechamento dos serviços não essenciais por 15 dias.

Pará
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!