Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Frutas natalinas elevam custo da ceia de Natal

Além das frutas, com reajuste acima da inflação, também o bacalhau está mais caro

Valéria Nascimento/Redação Integrada

As tradicionais frutas da época, sobretudo as importadas, são responsáveis por deixar mais alto o preço da ceia de Natal 2018 para os paraenses. A conclusão é da pesquisa divulgada, nessa sexta-feira, 21, pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese Pará).

O estudo levantou os valores nos supermercados da Grande Belém, de 17 a 19 desta semana, e aponta que as tradicionais frutas do período, especialmente as importadas, estão com preços acima da inflação, que tem acumulo de 4% nos últimos 12 meses. Um exemplo é o quilo da uva branca (Itália), com reajuste de 27,41 %.

Entre as frutas com preços elevados no Natal 2018 constam ainda a maçã nacional (o quilo), com alta de 24,30%; o quilo do melão amarelo com reajuste de 23,91%; o da pera portuguesa com alta de 12,62%; e ainda o quilo do pêssego fresco importado, com aumento de 12,58%; o das passas escuras sem semente (11,48%), e o da maçã verde importada (9,75%). Na lista há ainda o quilo da ameixa fresca Importada (8,98 %); o da pera Willians (2,82 %); frutas cristalizadas (2,26%) e o da castanha portuguesa, com alta de 0,05%.

O levantamento informa, no entanto, que alguns produtos apresentaram recuo nos preços, nos últimos 12 meses, com destaques para o quilo das nozes com casca, que teve queda de 20,09%; o quilo da goiaba branca, com queda de 18,84% e o da ameixa seca sem caroço, de 6,24%.

O Dieese chama a atenção para alguns produtos que tradicionalmente compõem a ceia de Natal e a do Ano Novo, a exemplo do bacalhau, que também está mais caro se comparado com o mesmo período de 2017.

O bacalhau do Porto, na terceira semana de dezembro de 2017, saía em média a R$ 67,63; neste ano, custa R$ 78,65, em média, nos supermercados da Região Metropolitana de Belém. Já o azeite de Oliva Galo, de 500 ml, teve reajuste de 11,61%, e vem sendo comercializado em média a R$ 20,86, com preços variando entre  R$17,30 e R$ 25,99.

 O levantamento mostra a flutuação de preços de outros produtos, como o tradicional peru, em média, mais caro 24% do que em 2017. De acordo com as marcas, os valores estão assim: peru Sadia (média de R$ 16,92) e o chester Perdigão, entre R$ 13,98 e R$ 15,19.

O frango, resfriado ou congelado, que nos últimos 12 meses apresentou queda de preço, tem agora os seguintes valores: o quilo do frango resfriado (Americano) sai por R$ 6,45, enquanto, o quilo do pernil (Sadia) com osso está tem média de R$ 12,95.

Palavras-chave

O Liberal
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!