Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Cooperativa leva união e bons resultados ao campo

Com mais de 180 associados, a CCAMPO atua com a agricultura familiar no interior do Pará

Levar o conceito de comunidade para dentro dos negócios é um dos objetivos de uma cooperativa. Dessa forma, quanto mais pessoas envolvidas maior é a colaboração, a divisão de responsabilidades e as possibilidades de crescimento.

Foi isso que, em 2018, motivou a junção de duas cooperativas agrícolas (COOPRUSAN e COOPROMUBEL) para a criação da CCAMPO, entidade que hoje conta com 188 cooperados, oferecendo produtos oriundos da agricultura familiar aos municípios de Santarém, Mojuí dos Campos, Belterra, Alenquer e Juruti, no oeste paraense.

“Nosso intuito com essa fusão foi ter mais capacidade produtiva e ganhar mercado, por isso decidimos unir as duas cooperativas que eram pequenas. Pedimos o apoio do Sistema OCB/PA (Organização das Cooperativas Brasileiras) na época e tivemos todo o suporte com os estudos de viabilidade, levantamento de patrimônio, contabilidade e questões jurídicas”, lembra Mario Zanelato, presidente da CCAMPO, sediada em Santarém.

Hoje a CCAMPO trabalha com a produção de hortifruti, derivados de mandioca e possui ainda uma pequena indústria de beneficiamento de polpa de frutas, tendo como principais clientes a rede pública de ensino nos municípios do Baixo Amazonas, como fornecedora de matéria-prima para a merenda escolar.

Gestão para vencer as dificuldades

Assim como a maioria das empresas em todo o mundo, a CCAMPO também sentiu os efeitos danosos da pandemia da covid-19, que chegou quando a cooperativa daria início aos seus planos de investimentos e vendas. Mas o impacto foi controlado através de um forte trabalho de gestão e governança realizado em parceria com o Sistema OCB/PA através do programa Acelera Coop.

 

Mario Zanelato (terceiro da esquerda para a direita), ao lado de representantes da CCAMPO, OCB, Sescoop e DGRV (Divulgação/CCAMPO)

Novas parcerias

Apesar de não terem experimentado um crescimento em seu faturamento, ele enxerga que o principal ganho durante a pandemia foi manter a cooperativa longe das dívidas e “fazendo muito com pouco” a partir dos aprendizados do Acelera Coop.“Tivemos acesso a orientações sobre gestão, redução de desperdícios e ferramentas de automação dos sistemas contábil e de controle de estoque. Isso foi muito importante para nos organizar e rever o planejamento da cooperativa”, conta Mario.

Com a assistência técnica realizada desde fevereiro de 2020, o programa Acelera Coop também possibilitou o contato da CCAMPO com a Confederação das Cooperativas Alemãs (DGRV), a qual se interessou em apoiar a instituição em vencer uma das suas principais dificuldades: o alto custo da energia elétrica.

Foi realizado um mapeamento de como a energia é usada na cooperativa e a identificação das possibilidades de redução de consumo, analisando equipamentos, iluminação e instalação. A DGRV oferece a assessoria para esse processo de eficiência energética e tem o compromisso de buscar recursos na Alemanha para a implantação de uma usina de energia fotovoltaica em Santarém para atendimento da cooperativa. A implantação está prevista para até o final deste ano.

“Hoje temos um custo anual entre 100 e 120 mil reais com energia elétrica, valor que podemos investir em processamento de outros produtos para agregar valor no negócio. Para nós será uma conquista!”, conclui Mario Zanelato.

Saiba mais informações sobre o cooperativismo e como fazer parte desse movimento. Clicando aqui.

Ocb
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!