Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Ansiedade na escola: quais os sintomas e como ajudar os estudantes?

Respiração ofegante e falta de ar são alguns sinais de ansiedade

As crises de ansiedade dos estudantes no ambiente escolar passaram a ser recorrentes, principalmente em situações como véspera de prova e apresentação de trabalhos para a turma. Por isso, é importante que a equipe pedagógica da escola esteja atenta à manifestação desses comportamentos e faça com que a criança ou jovem identifique os seus sentimentos.

Para a psicóloga escolar, Laura Maia Xerfan, que trabalha há 19 anos no Colégio Ideal, os estudantes estão cada vez mais ansiosos, devido à aceleração da vida cotidiana, aumento de atividades no dia a dia e velocidade das informações que chegam através das mídias sociais.

Laura Maia é psicóloga e afirma que os jovens estão mais ansiosos (Arquivo pessoal)

“Tudo isso contribui para um pensamento acelerado e a vontade em atender essa demanda, porém ainda não há capacidade emocional para sustentar”, explica.

A profissional ressalta que, quando não tratada, a ansiedade persiste ao ponto de atrapalhar a rotina do estudante, trazendo prejuízos para todos os âmbitos da sua vida.

VEJA MAIS

Colégio Ideal celebra conquistas de melhores resultados em 2021
Com aprovações em vestibulares, a instituição segue o desafio de formar estudantes para a vida

Salas de cinema ambientam revisões para o Enem do Colégio Ideal
Iniciativa já é tradição e contribui para os bons resultados dos alunos nas provas

Veja, a seguir, os sintomas mais comuns de ansiedade:

1. Respiração ofegante e falta de ar;

2. Palpitações e dores no peito;

3. Fala acelerada;

4. Sensação de tremor;

5. Agitação motora de pernas e braços;

6. Tensão muscular;

7. Insônia;

8. Irritabilidade;

9. Medo constante;

10. Preocupação excessiva.

Segundo a psicóloga, o papel da escola é acolher o aluno, para que ele sinta-se mais seguro e perceba que está em um espaço onde receberá ajuda. “Isso inclui ser flexível com a rotina escolar e conversar com os pais para orientá-los em suas atitudes em casa, bem como encaminhá-los para ajuda profissional especializada”, acrescenta.

Já os pais ou responsáveis, precisam estar atentos à presença desses comportamentos e, caso identifiquem a persistência deles, devem buscar ajuda de um profissional especializado. “O profissional pode ser um médico psiquiatra ou psicólogo, que fará uma avaliação específica e diagnóstico”, finaliza Laura.

O Colégio Ideal possui uma equipe pedagógica com profissionais especializados, incluindo psicólogos. Para saber mais, clique aqui.

Grupo Ideal
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!