Pós-graduação é requisito essencial nas melhores vagas de emprego

Profissionais que investem em pós-graduação recebem até 47,2% a mais do que aqueles que não têm essa qualificação

Carolina Gantuss | Especial para O Liberal
fonte

Ao contrário do que muita gente pensa, a graduação não é mais um diferencial no mercado de trabalho. É necessário muito mais do que um único curso no currículo, pois garantir efetividade no emprego exige especialização e uma constante atualização profissional.

Quando se busca uma pós-graduação, o mercado de trabalho entende que aquele profissional não estagnou na sua área e se preocupa em aprimorar e aprofundar seus conhecimentos com o objetivo de se preparar melhor para atuar em um mercado altamente competitivo.

Porém, os benefícios de se especializar vão muito além, podendo gerar e expandir não só as oportunidades de emprego, como estimular as transições de carreira, impulsionando o desenvolvimento profissional.

No Brasil, existem diferentes tipos de pós-graduação e elas são divididas em dois eixos específicos: o nível stricto sensu, ou seja, mestrado e doutorado; e o nível lato sensu, que abrange as especializações e os MBAs. Essas duas categorias englobam todos os programas de pós-graduação existentes no país, sejam em instituições privadas ou públicas.

Os cursos em stricto sensu abrigam formações mais voltadas para o desenvolvimento da carreira acadêmica. São cursos que ampliam a capacidade técnico-científica nacional, por meio de pesquisas que respondem a diversas demandas da sociedade.

image Vagas de emprego incluem pós-graduação como requisito para selecionar profissionais (Freepik)

Na categoria de lato sensu estão as formações mais focadas naquilo que o mercado espera, são capacitações mais práticas. Esses cursos são fundamentais para o aumento da qualificação da mão de obra nacional. No entanto, na prática, é comum ver pessoas que passam entre os dois eixos de capacitação na tentativa de se qualificar da melhor maneira possível.

Em geral, basta ter um diploma de graduação para poder ingressar em qualquer curso de pós-graduação. Mas, existem áreas que exigem como requisito formação anterior na área na qual se está em busca de aperfeiçoamento.

De acordo com um levantamento realizado pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), menos de 1% dos brasileiros cursaram algum tipo de MBA ou especialização. Nesse cenário, ter uma qualificação no currículo se torna um diferencial para alavancar a carreira.

Nesse sentido, conforme uma pesquisa realizada pela Catho Educação, obter uma formação de especialização ou MBA podem aumentar as chances de um profissional conquistar melhores vagas em diversas áreas, que incluem salários e benefícios maiores. A pesquisa apontou ainda que esses profissionais recebem até 47,2% a mais do que aqueles que não têm essa qualificação.

A quantidade de profissionais que buscam cursos de especialização em nível superior tem aumentado tanto que, para muita gente, isso já é uma obrigação após a graduação.

Segundo um estudo realizado pelo Instituto Semesp (Secretaria de Modalidades Especializadas de Educação), durante a pandemia a procura por cursos de especialização aumentou. Neste ano, o número de estudantes de pós-graduação chegou a 1,3 milhão, representando um crescimento de 4,8% em comparação a 2019.

De acordo com o instituto, esse saldo é positivo. Afinal, ele mostra que as pessoas estão buscando uma especialização como forma de aumentar suas qualificações e se preparar para o mercado. Além disso, o formato de aulas remotas foi um grande atrativo para os profissionais, pela flexibilidade de horários e por não exigir deslocamento.

Em períodos de crises que afetam a empregabilidade, as pessoas tentam concentrar seus esforços tanto na recolocação no mercado quanto na manutenção dos seus postos de trabalho. Esse é um dos principais motivos da importância da pós-graduação ter crescido no país.

Investir em cursos de qualificação, como graduação e pós-graduação, impacta diretamente no salário dos profissionais em diferentes níveis de hierarquia. Profissionais com cargos de coordenação, por exemplo, possuem a especialização ou o mestrado. O mercado de trabalho é exigente e só tende a se transformar e evoluir.

Por isso, é preciso se atualizar para poder acompanhar essas mudanças. Abaixo, confira 10 vantagens de se fazer uma especialização:

  • Melhoria nas perspectivas de salário
  • Aumento na empregabilidade
  • Conhecimento especializado
  • Exploração de novas áreas de atuação
  • Ampliação do networking
  • Assumir novos cargos
  • Progressão de carreira
  • Desenvolvimento de novas habilidades
  • Referência na área de atuação
  • Realização pessoal
Carreiras Libshop
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!