Diretor da FPF critica Remo e Independente: "Pensam exclusivamente na parte financeira"

Paulo Romano reclamou da decisão que afeta "essência da competição"

Nilson Cortinhas

Do início ao fim, o Campeonato Paraense 2019 lida com imbróglios. O primeiro foi com relação ao estádio Mangueirão, que foi vetado para jogos e depois liberado por órgãos de segurança. O último problema, ao que parece, diz respeito ao local da primeira partida da final.

Diretor-técnico da Federação Paraense de Futebol, Paulo Romano, acredita que os jogos da final em Belém prejudicam o aspecto técnico do Parazão.  "Fica muito prejudicado. É uma luta que começou com a vinda do Coronel Nunes (atual presidente da CBF, ex-presidente da FPF) para Federação Paraense de Futebol e o anseio dele de fazer com que o futebol fosse jogado em todos os cantos do estado. Tanto é que nós temos dois times da capital e oito times do interior disputando a competição", defendeu. 

Paulo criticou os clubes abertamente. "Quando se chega na final da competição, os times pensam única e exclusivamente na parte financeira, esquecendo até a parte técnica e a essência da competição" 

Ele explicou que a FPF insistiu que um jogo da final fosse realizado em Tucuruí, porém. "Os times fizeram um termo de acordo. Nosso departamento jurídico dará um parecer". 

Romano ponderou também que a decisão se deu em virtude das circunstâncias. "A questão dos acidentes naturais tem sido obstáculo. Ficamos tristes, mas a federação, como gestora da competição, tem que acatar o que é desejo dos dois clubes".

 

Remo