Como se preparar para as perguntas mais frequentes em entrevista de emprego

Especialista dá dicas de como responder às questões padrões

Daleth Oliveira

Em um processo seletivo, recrutadores utilizam diversos artifícios para conhecer de maneira aprofundada os candidatos às vagas. Nesse sentido, algumas questões consideradas até “padrão” são realizadas e, mesmo sendo algo comum nessas análises, parte dos profissionais pode ficar confusa sobre como devem ser suas respostas.

Para essas perguntas padrões, respostas igualmente padrões costumam ser mal vistas por entrevistadores, alerta o doutor em Administração, Eduardo Vasconcelos. Em entrevista ao jornal O Liberal, o profissional deu dicas de como ir bem nas entrevistas de emprego.

“Algumas perguntas são bastante utilizadas, como por exemplo, sobre os pontos fortes e fracos dos candidatos. A maioria das pessoas tenta fugir dessa pergunta, sem ilustrar um ponto de fato negativo, se apresentando como aquele candidato que não tem pontos fracos. Alguns respondem que o defeito é ser perfeccionista, mas isso não é algo ruim e o entrevistador ouve muito isso. A dica que dou é você já considerar previamente qual seria esse ponto fraco e esse teu ponto forte e chegar com as respostas na ponta da língua”, aconselha Eduardo.

Outra questão comum é sobre a pretensão salarial do candidato. Para o especialista, uma consulta prévia sobre os planos de carreira da empresa e média salarial para o cargo são necessárias. “O ideal é que previamente se busque conhecer informações sobre o cargo na empresa onde ele está pleiteando uma vaga, de um modo que a resposta seja condizente com a situação do empresário”, recomenda.

Algumas empresas ou responsáveis pelo processo de seleção podem realizar perguntas que, no primeiro momento, pareçam absurdas para o candidato. Entretanto, isso é proposital, diz Eduardo. “A intenção é que a pergunta realmente seja absurda para ver qual o tipo de reação que esse candidato teria, ou seja, como ele se comporta perante uma situação adversa, se ele leva em consideração a imaginação, a capacidade de tomar decisões rapidamente, de lidar com situações difíceis ou conflituosas, se ele tem traquejo para se posicionar”, indica o administrador.

Mas então, como responder bem? Para Eduardo, o importante é ser sincero e bem-humorado. “O candidato não pode fingir ser alguém que não é. Afinal, nenhuma imagem criada se sustenta por muito tempo. Além disso, o bom humor é fundamental, principalmente nas dinâmicas em grupo, em que os candidatos precisam interagir uns com os outros”, aponta.

A pergunta mais difícil

O Núcleo Brasileiro de Estágios (Nube) fez uma pesquisa em 2021 com 44.763 jovens entre 15 e 29 anos e perguntou: “qual pergunta é mais difícil responder em uma entrevista?”.

Mais de 39,7% (17.782) dos entrevistados relataram dificuldade em apontar porque a empresa deve lhes contratar. Outros 31,9% (14.309) enfrentam adversidades ao responder quais são seus maiores defeitos.

Já para 20,6% (9.227), o principal desafio é responder “pode me falar um pouco sobre você?”. Por fim, 3.445 ou 7,7% dos respondentes tiveram obstáculos ao receberem a pergunta “quais seus objetivos de carreira?”.

Emprego
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!