Edital vai definir contratação de concessionárias para o BRT Metropolitano da Grande Belém

O edital contempla a prestação do serviço em duas áreas de concessão: vinculada ao Terminal de Integração de Ananindeua e Terminal de Integração de Marituba

João Thiago Dias / Com informações da Agência Pará

Está em processo de elaboração, por meio do Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano (NGTM), do governo do Pará, o edital para a contratação das concessionárias de linhas de ônibus (troncais e alimentadoras) para o BRT Metropolitano na Grande Belém. O edital deve ser concluído no final deste ano e contempla a prestação do serviço em duas áreas de concessão: vinculada ao Terminal de Integração de Ananindeua e Terminal de Integração de Marituba. 

Com isso, as empresas terão a concessão do Estado para operar o sistema de transporte coletivo na Região Metropolitana. O processo licitatório e de organização do sistema integrado deverá estar finalizado ao término das obras da Nova BR, consolidando, assim, a implantação do sistema BRT Metropolitano, conforme explicou o diretor de Planejamento do Núcleo, Cláudio Conde.

“Estamos elaborando os regulamentos que irão tratar sobre a governança dessa dinâmica de operação, desde como o sistema vai funcionar até como será feita a compensação tarifária entre as empresas. Neste ponto, existe uma série de implicações para a implantação de um sistema de bilhetagem único, assim como as regras de convivência das empresas com o público e com o órgão gestor”, detalhou.

Como parte do processo, integrantes da Diplan visitaram o sistema de controle operacional e bilhetagem eletrônica do transporte urbano municipal de Castanhal. A metodologia é semelhante com a que será adotada na integração de ônibus na Região Metropolitana de Belém. “Esse sistema tem reflexo positivo para a segurança do usuário do transporte e também permite o controle operacional. A ideia é fazer um processo bem otimizado no transporte metropolitano”, comentou Cláudio.

O NGTM, Prodepa e gerenciadora das obras também se reuniram, virtualmente, para dar continuidade no processo de construção da infraestrutura e tecnologia da informação do sistema que será implantado. Toda a base de controle do sistema, como computadores e câmeras, além da transmissão de dados, estarão incorporados ao sistema integrado.

Centro de Controle

O Centro de Controle Operacional (CCO), que está em fase de construção no complexo do Comando da Polícia Militar, ao lado da sede da Prodepa, será o "cérebro" desse sistema. “Por meio de equipamentos, como câmeras, monitores e sensores, teremos informações dos ônibus, terminais, estações e corredor da BR. Todo o enlace de comunicação que está sendo construído pelo NGTM será feito com uma rede de alta capacidade de transmissão de dados, futuramente mantido e operado pelo Prodepa”, destacou Conde.

“As responsabilidades de cada, tanto na fase de construção como de operação, estarão claras no edital para que as futuras concessionárias saibam o que precisarão comprar e manter”, acrescentou. Ainda segundo Cláudio, “essas tecnologias são ferramentas importantes para o melhor desempenho do sistema de transporte e várias funcionalidades poderão ser disponibilizadas aos usuários através dos meios de comunicação digital, como celulares”.

O Liberal
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!