Artistas saem em defesa de Fernanda Montenegro após ofensas de Roberto Alvim

Em carta aberta, Associação de Produtores de Teatro pede o afastamento do diretor de Artes Cênicas da Funarte

Agência Estado

A classe artística reagiu às falas do diretor do Centro de Artes Cênicas da Funarte, o encenador Roberto Alvim, que se referiu à atriz Fernanda Montenegro com adjetivos como "sórdida" e "mentirosa" em postagem em rede social. Por meio de comunicado divulgado principalmente nas redes sociais, a Associação dos Produtores de Teatro (APTR) repudiou as declarações do dramaturgo e pediu seu afastamento da instituição federal.

Um trecho do comunicado dos artistas diz o seguinte: "A APTR repudia veementemente as declarações do diretor de Artes Cênicas da Funarte, Sr. Roberto Alvim, em suas redes sociais, onde classifica o não diálogo com a classe artística como uma 'guerra irrevogável'. Com a mesma intensidade, repudiamos a classificação da fala de dona Fernanda Montenegro como infantil, mentirosa e canalha. É absolutamente inadmissível que uma atriz com a sua trajetória seja atacada em seu livre exercício de expressão...".

Outro trecho da carta prossegue: "Cuidar da cultura como um importante setor para a economia e a formação de um país trata-se de um exercício diário, ético e respeitoso. O mesmo se aplica ao cuidado que deveria ser adotado ao se referir a uma atriz como Fernanda Montenegro, um símbolo da identidade nacional, com reconhecimento em todo o mundo..."

Em sua postagem, Alvim falava da capa com Fernanda publicada pela revista Quatro Cinco Um, em que aparece retratada como uma bruxa momentos antes de ser queimada em uma fogueira de livros.

 

 

O texto diz o seguinte: "Um amigo meu, bem-intencionado, me perguntou hoje se não era hora de mudar de estratégia e chamar a classe artística pra dialogar. Não, absolutamente não. Trata-se de uma guerra irrevogável. A foto da sórdida Fernanda Montenegro como bruxa sendo queimada em fogueira de livros, publicada hoje na capa de uma revista esquerdista, mostra muito bem a canalhice abissal destas pessoas, assim como demonstra a SEPARAÇÃO entre eles e o povo brasileiro. Temos, sim, que promover uma RENOVAÇÃO completa da classe teatral brasileira. É o ÚNICO jeito de criarmos um RENASCIMENTO da Arte no Teatro nacional. Porque a classe teatral que aí está é radicalmente PODRE. E com gente hipócrita e canalha como eles, que mentem diariamente, deturpando os valores mais nobres de nossa civilização, propagando suas nefastas agendas progressistas, denegrindo nossa sagrada herança judaico-cristã, bom - com essa corja".

Após a repercussão negativa, Alvim voltou a tratar do assunto no mesmo tom. "Sites, blogs e páginas da classe artística, além de inúmeras postagens, afirmam que sou grosseiro e que tenho que 'respeitá-la', me xingam de tudo que é nome e exigem que eu me retrate e que seja demitido do cargo de diretor de Artes Cênicas. Fernanda MENTE escandalosamente, deturpa a realidade de modo grotesco, ataca o presidente e seus eleitores de modo brutal, e eu sou grosseiro e desrespeitoso, apenas por ter revidado a agressão falaciosa perpetrada por ela?".

O 'Estado' procurou a atriz, de 89 anos, para saber de sua posição, mas sua assessoria informou que ela não vai se pronunciar, e que agradece "este abraço pela compreensão".

Cultura
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM CULTURA