Repórter 70

Por Rita Soares

Mais tradicional coluna do jornalismo paraense. Aborda temas do cotidiano com atenção especial à economia e aos bastidores da política do Pará e do Brasil.

'Trabalha de forma remota. É inadmissível', diz Bolsonaro sobre presidente da Petrobras

Repórter 70

Melhores soldos
O governador Helder Barbalho assinou o projeto de lei para reajustar os soldos de praças da PM e Corpo de Bombeiros.

Estudo sobre nutrição
Uma pesquisa avaliará as condições nutricionais dos pacientes do Hospital Oncológico Infantil “Octávio Lobo”.

Presidente Jair Bolsonaro (J. Bosco)

"O atual presidente da Petrobras está há 11 meses de casa, sem trabalhar. Trabalha de forma remota. Isso para mim é inadmissível.”

Após indicar o general da reserva Joaquim Silva e Luna para o comando da Petrobras, JAIR BOLSONARO voltou a criticar, ontem, o fato de o presidente da empresa, Roberto Castello Branco, estar trabalhando em home office desde março, em razão da pandemia de covid-19. Castello Branco tem mais de 60 anos e faz parte do grupo de risco da doença.


COMBUSTÍVEIS

Protesto

Mesmo desarticulado e sem adesão direta das principais entidades sindicais, a manifestação contra o aumento dos combustíveis causou transtornos, ontem pela manhã, a quem precisou sair da Região Metropolitana de Belém pela BR-316. Houve pelos menos três pontos de congestionamento. Sem uma pauta definida e sem saber direito a quem direcionar suas reivindicações, os autores da paralisação dizem que querem alíquota zero dos impostos incidentes sobre a gasolina e óleo diesel.

Esclarecimentos

Em nota, a Secretaria de Estado de Fazenda (Sefa) informou que o reajuste do preço do combustível é de responsabilidade exclusiva do governo federal e da Agência Nacional do Petróleo. Sobre a questão do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), a Sefa afirmou que não houve aumento da alíquota. O governador Helder Barbalho tem defendido que a questão seja tratada durante a reforma tributária porque qualquer alteração nas alíquotas pode comprometer fortemente as finanças do Estado.  

ESCALPAMENTO

Prevenção

Acordo firmado ontem entre o Instituto de Metrologia, Qualidade e Tecnologia e a Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres prevê a realização de um estudo para o desenvolvimento de protótipos de equipamentos para proteção de eixo de motores de embarcações. O objetivo é evitar acidentes que provoquem escalpelamento. Problema que atinge, principalmente, as meninas nos rios da Amazônia, o escalpelamento é causado pelo eixo do motor que, sem proteção, pode puxar os cabelos das vítimas gerando danos, muitas vezes,irreversíveis. O acordo prevê também mais rigor na fiscalização nos rios da região. A meta é mapear as embarcações sem proteção no eixo do motor e, por meio de parcerias com Estados e municípios, firmar parcerias para resolver o problema.

 ASSÉDIO

Combate

Será votado hoje, na Assembleia Legislativa do Pará, projeto de lei de autoria do deputado Carlos Bordalo (PT), que trata sobre a prevenção de assédio contra as mulheres em bares, restaurantes e casas noturnas. O projeto prevê a divulgação, por meio de cartazes fixados nos banheiros femininos, de informações sobre a questão e dados sobre a rede de proteção às mulheres, além do treinamento de funcionários  para prestarem auxílio para as possíveis vítimas.

MORADIA

Obstáculos

Pesquisa divulgada ontem pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) revela que a pandemia fez crescer o interesse dos brasileiros pela compra da casa própria, mas estes têm encontrado obstáculos: a dispara dos preços do material de construção e as ameaças de desabastecimento fizeram cair a oferta de imóveis. Isso afeta, principalmente, as famílias na faixa de renda entre R$ 2.500,00 e R$ 4.500,00. A queda no volume de lançamentos nos últimos três meses do ano passado foi de  17,8% em comparação ao mesmo período do ano anterior.

DOAÇÃO

Pandemia

A empresa Vale anunciou ontem que fará novas doações ao Governo do Estado e municípios do Pará para ajudar no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus.  Entre o material doado estão 30 respiradores entregues aos hospitais da rede pública de Canaã dos Carajás, Ourilândia do Norte, Parauapebas e Marabá. A empresa também está destinando 36 mil metros cúbicos de oxigênio aos municípios de Salinópolis, Conceição do Araguaia e Cametá, conforme definido pela Secretaria de Estado de Saúde.

DESLIZAMENTOS

Riscos

A Defesa Civil do município de Belém iniciou o levantamento de áreas de riscos de erosão e deslizamento nos distritos da capital paraense. Ontem, a equipe interditou um trecho da avenida Beira-mar da Ilha de Outeiro por conta do alto risco de erosão e deslizamento do trecho entre as ruas Antônio Rebouças e João Rebouças. A vistoria foi acompanhada por geólogos da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM), que tem as atribuições do Serviço Geológico do Brasil. Na quinta-feira, as equipes da Defesa Civil e CPRM farão inspeção na Ilha de Cotijuba, que é distrito da capital.

EM POUCAS LINHAS

► O prefeito Edmilson Rodrigues (PSol) assina hoje, às 11h30, o decreto de regulamentação do programa “Bora Belém” criado para beneficiar famílias em estado de extrema pobreza com uma renda básica mensal de até R$ 450.

 ► A Corregedoria Regional (Coger) do Tribunal Regional Federal da 1ª Região encerrou  ontem a correição ordinária em 12 varas da Justiça Federal em Belém, dez no interior do Estado (nos municípios de Santarém, Marabá, Altamira, Castanhal, Redenção, Paragominas, Tucuruí e Itaituba) e nas duas Turmas Recursais de Juizado Especial Federal do Pará e Amapá, que funcionam na capital.

► Os trabalhos foram feitos de maneira virtual. A correição funciona para avaliar o andamento de processos.  

► O Sindicato dos Médicos do Pará lançou ontem novo sistema de gestão de tecnologia, batizado de “Gestão na Mão”.

► A partir de agora, médicos e acadêmicos associados à entidade têm acesso a todas as informações e serviços do sindicato por meio do smartphone. A nova tecnologia faz parte de uma estratégia para facilitar o contato do sindicato com a base sem necessidade de aglomeração.

► Os paraenses estão aderindo à campanha SOS Acre, lançada para arrecadar doações para o Estado que enfrenta epidemia de dengue, enchentes, uma crise humanitária com migrantes do Haiti e ainda um novo pico da pandemia do novo coronavírus.      

► A situação é tão grave que o governador do Acre, Gladson Cameli, decretou estado de calamidade pública em dez cidades do Estado. Cerca de 130 mil pessoas estão desabrigadas.

► O governo do Pará estima investimentos de R$ 2 bilhões em obras de infraestrutura de transportes no biênio 2021/2022.

► Segundo dados oficiais divulgados, ontem, esses investimentos vão gerar 35 mil empregos diretos e outros 71 mil indiretos em frentes de construção e pavimentação de novas rodovias, pontes e aeródromos.

Repórter 70
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!