Casa de Plácido atenderá 85 mil romeiros no Círio

Há seis anos devota abre sua casa na BR-316 para romeiros que caminham

Cleide Magalhães

Neste Círio de Nazaré a expectativa é que 85 mil romeiros sejam atendidos pela Pastoral da Acolhida, que tem o papel de receber, alimentar e cuidar dos romeiros que chegam na Casa de Plácido, no Centro Social de Nazaré. Milhares deles vêm a pé e de diversas regiões do Estado. Desde por volta das 16h desta segunda-feira (7), 75 romeiros, sendo dez de apoio em três carros, que fazem parte da Associação dos Romeiros de Magalhães Barata, saíram deste município, no nordeste do Pará, com objetivo de fazerem a última das seis paradas em Belém nesta quinta (10), por volta das 19h.

Todo esforço vale para que eles paguem promessas feitas à Nossa Senhora de Nazaré e cheguem na Casa de Plácido na quinta, às 7h, para a Missa dos Romeiros, que acontece na Basílica de Nazaré. Pelo percurso, com cerca de seis horas de caminhada por dia, os romeiros da associação e outros recebem atenção e acolhimento de algumas pessoas durante momentos de descanso, já que muitos deles sentem dores na cabeça e no corpo, e adquirem calos nos pés.

Por volta das 13h desta terça, os romeiros da associação deram uma pausa para almoço na Igreja Matriz de Santana, na Vila de Apeú, em Castanhal, nordeste do Estado. Um deles é o autônomo Daniel Costa, 19 anos, que participa da caminhada há cinco anos, para seguir na promessa feita pelo pai dele.

“Meu pai pagava promessa na corda durante 12 anos e completou dois anos na caminhada, mas ele já está com certa idade. Então a promessa passou para mim e comecei a caminhada aos 14 anos. Nosso pedido é que eu me cure de uma alergia que tenho pelo corpo desde criança, e os médicos ainda não descobriram o que é. Sinto um pouco melhor devido medicamentos. Faço essa caminhada com muita fé ”

A última de seis paradas do grupo é nesta quinta no Colégio Costa e Silva, no bairro do Souza, a partir das 19h. Pelo percurso eles contam com seis alojamentos para breve descanso, como igrejas, escolas, sedes de clubes e casa de pessoas que os acolhem oferecendo água, fruta, camisa, boné e outros.

Solidariedade pelo caminho


Pelo meio do caminho, uma das pessoas que acolhe centenas de romeiros desde terça (8) até sábado (12) é a agricultora aposentada Rita Barreto Nunes, 72 anos. Há seis anos, ela junto com moradores da Comunidade da Areia Branca, que fica no quilômetro 42 da BR-316, em Santa Izabel, Região Metropolitana, oferecem frutas, sucos naturais, descanso, massagens e outros cuidados com quem caminha pagando promessas.

“Sempre tive vontade de servir. Eu colocava na janela da minha casa uma garrafa com água e copos para algum romeiro vir beber. Uma vez um grupo de romeiros pedia um lugar para descansar um pouco e eu aceitei. Para mim isso foi uma benção de Deus. De lá para cá, passei a ajudar todos os anos até quando eu e as pessoas da comunidade que se comovem conseguimos organizar uma estrutura de barracão para recebê-los todos os anos. Aqui a gente atende centenas de pessoas que vão passando todos os dias. É maravilhoso e sou muito grata”, disse Rita Nunes.

A ação dela é uma forma de pagar promessa feita à Nossa Senhora de Nazaré pela sobrevivência que teve depois de grave acidente de trânsito sofrido, em 1988, no qual morreram o irmão e cunhada de Rita. A recuperação ocorreu na Clínica dos Acidentados, próximo à Basílica de Nazaré.

 

Círio
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!