Dezembro Verde promove reflexão sobre abandono de animais e reforça a importância de adotar

Informe Publicitário

O gesto de adotar um cachorro ou um gato é dar a oportunidade de um recomeço para seres que só retribuem amor e é uma responsabilidade que vem do coração. Para a jovem Raiane da Silva, de 23 anos, levar uma cadelinha sem raça definida para casa significa ter uma companhia para dividir os dias, às vezes solitários.

Por isso, quando ela viu o anúncio da Feira de Adoção de Cães e Gatos da Prefeitura de Belém, em uma rede social, não pensou duas vezes e foi do bairro do 40 Horas, em Ananindeua, até a Marambaia em busca do novo amigo.

Entre as mais de trinta opções, a escolha foi uma cadelinha de pelo curto em tons de branco e marrom. A conexão foi imediata. "Faz um tempo que quero adotar um animalzinho, um filhote para me fazer companhia, pois me sinto muito sozinha, já que meu marido trabalha o dia todo. A feira da Prefeitura tem credibilidade e por isso vim. Saio muito mais alegre por ter encontrado uma companheira", contou, entre risos e afagos na cadelinha, cujo nome ainda será definido.

ADOÇÃO

(Prefeitura de Belém)
(Prefeitura de Belém)

Para adotar um animal no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) ou nas Feiras de Adoção municipais é necessário ser adulto (ter acima dos 18 anos), estar com documentos pessoais com foto e comprovante de residência. Ao preencher todos os critérios, o candidato precisa ainda passar por uma avaliação feita pelo CCZ, que busca ouvir a disponibilidade do futuro proprietário em incluir o animal na sua rotina de cuidados, alimentação e de carinho.

"É importante que a pessoa saiba que o animal exige atenção, afinal de contas, ele é membro da família. Deve ter também cuidado com a alimentação e assistência médica veterinária. A pessoa precisa ter consciência de que existe o que nós chamamos de posse responsável. É importante que a pessoa venha ao Centro de Zoonoses, faça uma visita e escolha aquele animal que mais se adéqua em sua casa" — Márcia Alves, médica veterinária do CCZ

BALANÇO

(Prefeitura de Belém)

Ao longo de 56 edições, este ano, mais de mil animais já ganharam uma nova oportunidade nas Feiras de Adoção de Cães e Gatos. São animais, em sua maioria, com histórico de abandono, maus tratos ou suspeita de alguma zoonose, que são doenças que podem ser transmitidas aos homens pelos animais.

Atualmente, cerca de 300 animais estão no canil e gatil do CCZ Prefeitura de Belém, sendo 66% de população canina. Deste total, os animais saudáveis e de fácil adaptação são encaminhados para as feiras. Aqueles que não possuem perfil de adoção seguem no CCZ dentro de uma estrutura que foi reformada e ampliada pela gestão municipal.

Atualmente, os animais possuem solário, maternidade, berçário e alimentação em dia. Cuidados que se somam entre os servidores do CCZ. "Eu não seria feliz em outra profissão, eu amanheço e eu anoiteço médica veterinária, de domingo a domingo. É demais prazeroso, é muito bom salvar vidas, resgatar, recuperar aquele animal, deixá-lo apto clinicamente para ser adotado e ter a oportunidade de ganhar uma família, de ter uma vida digna", detalha Márcia Alves.

DEZEMBRO VERDE

(Prefeitura de Belém)
(Prefeitura de Belém)

Para incentivar a posse responsável e combater o abandono de cães e gatos, o prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, incluiu no calendário oficial de eventos do município o Dezembro Verde, por meio da Lei número 9.492, de 16 de julho de 2019, com o intuito de estimular a reflexão pela sociedade sobre o abandono de animais.

"É um desafio combater o abandono de animais, pois diariamente nos deparamos com esta triste realidade nas ruas da nossa capital. Mesmo sendo um crime previsto no Código Penal, as pessoas insistem em deixar cães e gatos em praças, vias públicas e em condições críticas" — Sérgio de Amorim, secretário municipal de Saúde.

O secretário destaca os firmes investimentos na política de castração animal, ampliando o número de cirurgias, ano após anos, visando o controle populacional e redução de possibilidades de transmissão de doenças para a população.

CIRURGIAS

Sérgio Amorim acrescenta que em 2012 eram feitas cerca de 400 cirurgias de esterilização animal por ano. Em 2018, foram quase sete mil, e em 2019, até novembro, já somam 6.580 procedimentos realizados, tanto nos blocos cirúrgicos do CCZ, quanto na unidade itinerante, o Castramóvel, que percorre os bairros da capital.

Eliana Uchoa, titular da Auditoria Geral do Município e presidente da comissão do Hospital Veterinário de Belém, explica que o Dezembro Verde objetiva chamar a atenção das pessoas sobre os maus tratos aos animais e a proibição dessa prática. "Orientar as pessoas que assistam os maus tratos a denunciar e onde podem denunciar é superimportante, justamente, por conscientizar as pessoas que não devem maltratar", disse Eliana.

Publieditorial
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM PUBLIEDITORIAL