'Planalto não nos escuta', diz vice-líder na Câmara ao deixar o cargo

Parlamentar classificou relacionamento político do Planalto com o Congresso como "uma sequência de erros"

Agência Estado

O deputado Capitão Augusto (PR-SP) deixou nesta quarta-feira, 24, o cargo de vice-líder do governo na Câmara, alegando "motivos pessoais", mas, ao jornal O Estado de S. Paulo, admitiu descontentamento e classificou o relacionamento político do Planalto com o Congresso como "uma sequência de erros".

O PR foi um dos partidos que exigiram mudanças no relatório da reforma da Previdência, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. Amigo do presidente Jair Bolsonaro, Capitão Augusto disse, porém, que a reforma não foi motivo para sua saída. "Por mais que a gente fale, o Planalto não nos escuta. De cada dez parlamentares, oito reclamam do governo. Não há só um fato. São vários", afirmou.

O deputado elogiou o vice, Hamilton Mourão, e disse não entender os ataques a ele. "De novo, o governo cria seus próprios terremotos", lamentou o parlamentar. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Política