Justiça bloqueia R$ 16,4 milhões do prefeito de Oriximiná

Ele foi denunciado pelo MP por irregularidades em processo licitatório

O prefeito de Oriximiná (oeste paraense), Antônio Odinélio Tavares da Silva, conhecido como Ludugero, teve R$ 16,4 milhões de seus bens bloqueados pelo Tribunal de Justiça do Pará (TJPA). Ele é acusado de irregularidades em processo licitatório. A decisão é do desembargador Milton Nobre.

De acordo com o MPPA, a prefeitura de Oriximiná contratou de forma ilegal a JV Serviços Urbanos, após fraudar a concorrência pública nº 001/2015. A licitação ocorreu em 2015, quando Luiz Gonzaga, ex-prefeito, ocupava o cargo no executivo municipal. 

Além de Ludugero, a decisão do desembargador atinge ainda o ex-prefeito de Oriximná, Luiz Gonzaga, o dono da empresa responsável pela coleta do lixo de Oriximiná desde 2015, Jucelino Tavares da Silva; a pregoeira da Prefeitura de Oriximiná em 2015, Gilmara de Carvalho Dias Varjo, e a JV Serviços Urbanos Ltda, empresa que venceu a licitação (concorrência pública) em 2015 e que continua realizando o serviço de coleta de lixo no município atualmente.

Política
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!