Governador do Pará pede auxílio financeiro a Bolsonaro para reconstrução de ponte

Helder Barbalho afirma que Bolsonaro "sinalizou solidariedade e sensibilidade", e que pediu que sua equipe estude

Agência Estado

O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), disse nesta quarta-feira, 10, que pediu ajuda financeira ao presidente Jair Bolsonaro para a reconstrução da ponte no Rio Moju, que irá custar cerca de R$ 113 milhões. A estrutura desabou na madrugada do último sábado, 6, após um de seus pilares ser atingido por uma balsa.

Segundo Barbalho, que falou com jornalistas após audiência no Planalto com Bolsonaro e o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, foi solicitado ao governo federal o socorro financeiro no valor da reconstrução da ponte.

Barbalho afirmou que Bolsonaro "sinalizou solidariedade e sensibilidade", e que pediu que sua equipe estude de que "forma e qual é o volume" possível para o governo federal colaborar. "Desejamos o apoio, e se ele vier, certamente irá colaborar profundamente. Se não for possível, faremos nossa obrigação", completou o governador.

O governador afirmou que, na terça-feira, o governo protocolou ação com pedido de ressarcimento e bloqueio de R$ 187 milhões envolvendo todas as empresas envolvidas no acidente.

Segundo o governador do Pará, nesta quarta-feira está sendo iniciada a retirada dos escombros. "A intenção é de que consigamos fazer nos próximos dias o início da reconstrução da estrutura", afirmou.

Previdência

Barbalho disse ainda que o assunto da Previdência não foi tratado durante a conversa com Onyx e Bolsonaro. Questionado sobre se apoia a reforma e se irá dialogar com a bancada do Pará sobre a questão, o governador apenas afirmou que há "sensibilidade sobre o assunto, não apenas sobre a reforma da Previdência". Barbalho defendeu a discussão de outras pautas de interesse dos Estados, que repensem a estrutura fiscal e o pacto federativo.

"Nós temos a sensibilidade sobre o assunto, não apenas sobre reforma da Previdência. O Estado do Pará deseja discutir diversas outras pautas, inclusive colaborando na agenda do fórum dos governadores, para que possamos repensar a estrutura fiscal e o pacto federativo", afirmou Barbalho.

Política