logo jornal amazonia

Paraenses presos em Portugal: polícia realiza 4ª prisão em operação que investiga tráfico de drogas

Foragido é natural de Barcarena (PA) e foi preso no Rio de Janeiro (RJ). Ele desembarcou de um voo vindo da Espanha

O Liberal
fonte

A Polícia Federal realizou a quarta prisão pela operação Euterpe, que faz parte do inquérito policial que apura o tráfico de 320 quilos de cocaína apreendidos em Lisboa, no fim de junho. A prisão aconteceu no último sábado, 8, no Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro. O paraense, considerado foragido por tráfico internacional de drogas, foi identificado após apresentar documentação falsa. 

Ao desembarcar no Galeão, de um voo que veio de Madrid, na Espanha, o suspeito, natural de Barcarena, apresentou passaporte em nome de outro brasileiro durante o controle migratório.

VEJA MAIS

image Paraenses presos em Portugal: confirmado o nome do 3º preso por tráfico internacional de drogas
O jovem é Nilson de Souza Castro Neto, conforme informaram fontes ligadas às autoridades portuguesas

image Paraenses presos em Portugal: PF investiga tráfico internacional de drogas em 4 cidades do Pará
A operação "Euterpe" dá continuidade às investigações iniciadas no final de junho, com a operação Norte Tropical, da Polícia Judiciária de Portugal. Três paraenses foram presos por traficarem 320 quilos de cocaína em uma carga de açaí

image Paraenses completam três meses presos em Portugal por tráfico de drogas
O tenente Aderaldo Pereira de Freitas Neto, da PM do Pará, o empresário Marco Antônio Faria Júnior, que tem negócios em Barcarena, foram presos em junho num esquema que pode estar ligado a operações do "Escobar Brasileiro"

Na ocasião, os policiais federais não apenas identificaram a falsidade do documento, como também constataram a existência de mandado de prisão preventiva em aberto contra o sujeito, expedido pela 3ª Vara Federal Criminal de Belém/PA, por tráfico transnacional de drogas.

O homem, que não teve a identidade divulgada, foi encaminhado à Superintendência Regional da PF no Rio de Janeiro para lavratura do termo circunstanciado de ocorrência pelo uso de documento falso e para formalidades decorrentes da prisão judicial.

 

A operação e outras prisões

Barcarena já era uma das quatro cidades no Pará que eram focos de investigação da Polícia Federal pela operação contra o tráfico internacional de drogas. Além dela, Ananindeua, Marituba e Belém também receberam mandados de busca e apreensão no dia 5 deste mês, em uma ação conjunta da Polícia Judiciária de Portugal, Europol (Serviço Europeu de Polícia) da Receita Federal do Brasil.

Na ocasião, foram apreendidos aparelhos eletrônicos e documentos que pudessem auxiliar a investigação e indicar a possível participação de outras pessoas nos crimes. Isto porque, em uma primeira etapa de investigações, a Polícia Federal já havia realizado a prisão em flagrante de três paraenses por tráfico internacional de drogas, no escopo da operação Norte Tropical.

Os presos na primeira etapa da investigação são o tenente Aderaldo Pereira de Freitas Neto, da PM do Pará; e o empresário Marco Antônio Faria Júnior, que tem negócios em Barcarena, nordeste do Pará. As identidades foram confirmadas por fontes da Polícia Judiciária de Portugal e pela Promotoria de Justiça Militar do Pará. Eles podem ter envolvimento com dois dos maiores traficantes da Europa: Ruben Oliveira, conhecido como “Xuxas” – tido como o maior traficante português –, e por Sérgio Carvalho – o “Major Carvalho”, também chamado de “Escobar brasileiro”.

O terceiro preso foi o paraense Nilson de Souza Castro Neto, conhecido como 'Nilsinho', que teve a prisão confirmada no dia 5 de outubro, em Lisboa, Portugal. Nas redes sociais, o jovem afirmava, em sua biografia, que era nutricionista e mostrava uma vida de luxo e viagens nas publicações. A última postagem foi em 23 de junho deste ano, na semana em que foi preso, na qual aparece em uma festa ao lado de amigos e diz: “a última pra fechar com os melhores”.

Polícia
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA