Nove pessoas são presas acusadas de tentativa de homicídio de PM no nordeste do Pará

Uma adolescente de 17 anos foi morta acidentalmente pelos criminosos

Redação Integrada

Nove pessoas foram presas por participação na tentativa de homicídio do policial militar cabo Modesto e no homicídio da adolescente Rafaela Neves Barbosa, de 17 anos. O crime ocorreu no município de Abaetetuba, no nordeste do Pará, no dia 11 de setembro de 2017. Na ocasião, os criminosos dispararam contra o PM, mas erraram os tiros e atingiram acidentalmente a adolescente. Rafaela levou dois tiros, um na cabeça e um no peito.

Os presos são: Joana Vasconcelos de Alcântara; José Elias Pontes da Silva; Fabrício Silva Souza; André dos Santos Costa; Rubenita Dias Pereira; Pedro Rodrigues Negrão Júnior; Otavielson Silva Cardoso; Joelson da Costa Carmo e Júlio Moraes Ribeiro. Eles foram capturados durante a Operação Demônios do Cárcere, deflagrada pela Polícia Civil do Pará, por meio das equipes da 4ª Região Integrada de Segurança Pública (Risp) do Núcleo de Apoio à Investigação (NAI) de Castanhal. Setenta policiais civis participaram da prisão dos acusados. 

Durante a ação policial, foram cumpridos 20 mandados judiciais, sendo oito mandados de prisão e 12 mandados de busca e apreensão - todos relacionados aos crimes de homicídio consumado e homicídio tentado. No total, nove pessoas foram presas, sendo duas delas em flagrante por outros crimes, como tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo. Um dos acusados foi detido em Castanhal, também no nordeste do Pará. 

Com os presos, a equipe de policiais civis encontrou 16 porções de maconha; dois revólveres calibre .34; nove munições de calibre .32; um carregador de pistola 24/7, contendo oito munições .40.

As investigações dos crimes foram conduzidas pelo NAI da região do Baixo Tocantins e Divisão de Homicídios de Abaetetuba durante dois anos. Nesse período, foram identificados os autores intelectuais do delito, assim como a rede de coautores e partícipes (quem atuou como olheiro; quem prestou apoio material; quem realizou o transporte da arma do crime; quem cedeu o imóvel para apoio; quem deu fuga, dentre outras ações criminosas).
"É de se ressaltar que em menos de quatro meses esta é a segunda operação realizada em Abaetetuba com a finalidade de repressão ao crime de homicídio, fato que tem contribuído decisivamente na contínua redução desse tipo de delito no município. Com esta operação, mais uma vez a Polícia Civil no Baixo Tocantins deixa claro que os crimes contra a vida jamais ficarão impunes nesta região", destacou a Polícia Civil. Em maio deste ano, foi deflagrada a Operação Anúbis, que resultou na prisão de 14 homicidas. 

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!