Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Inquérito investiga foto em que coronel da PM estaria nu

Na imagem, o chefe do Estado-Maior Geral da Polícia Militar do Pará, coronel Marcelo Ronald Botelho de Souza, supostamente aparece de camisa vermelha, sem vestir nada por baixo

O Liberal

​O promotor de Justiça Militar Armando Brasil informou, na tarde desta quarta-feira (18), que um Inquérito Policial Militar (IPM) foi instaurado pela Corregedoria-Geral da PM para apurar o caso de uma foto em que o chefe do Estado-Maior Geral da Polícia Militar do Pará, coronel Marcelo Ronald Botelho de Souza, supostamente aparece nu em um dos gabinetes da corporação. A foto está sendo periciada pela Polícia Científica do Pará (PCP). O prazo para conclusão do inquérito é de 40 dias.

VEJA MAIS

Delegada da Polícia Civil é demitida após várias transgressões no Pará
A portaria de demissão foi publicada no Diário Oficial do Estado do Pará, na segunda-feira (16)

No Pará, homem vai até a delegacia, urina na parede, risca viatura da polícia, filma e posta
O homem escreveu o próprio nome em uma das viaturas com uma chave de fenda

Criminosos invadem residência e matam sargento da PM com três tiros na cabeça, em Mosqueiro
O crime ocorreu na manhã desta quarta-feira (18)

Segundo o promotor Armando Brasil, se for confirmado que a foto é verdadeira e que foi feita no gabinete, fica caracterizado crime de atentado violento ao pudor, previsto no Código Penal Militar. A pena poderia chegar a cinco anos de reclusão.

Legenda ()

Na imagem, o coronel aparece sentado sobre uma mesa, olhando para o lado. Ele estava trajando apenas uma camisa vermelha, sem vestir nada por baixo. A foto começou a circular na última sexta-feira (13), mesma data em que o IPM foi instaurado.

Assim que começou a circular na internet, imediatamente uma segunda foto, aparentemente editada, começou a circular nas redes sociais. Nela, o coronel aparece vestido de camisa vermelha e uma calça que se assemelha ao uniforme pertencente à Polícia Militar do Pará.

Em nota enviada na sexta-feira, a PM disse que o coronel foi vítima de fake news. Um boletim de ocorrência foi registrado na Delegacia de Crimes Cibernéticos, que investigará o ocorrido. Nesta quarta-feira, a reportagem entrou em contato novamente com a PM, para que esta se manifeste sobre o IPM, mas a instituição ainda não deu retorno.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA