Casal encomenda a morte de adolescente acusado de abusar de criança de sete anos

Os pais da criança teriam ficado revoltados ao saber que, por ser menor, o jovem não poderia ser preso

Redação Integrada (com informações da Ascom Polícia Civil)

A Polícia Civil prendeu em flagrante, no último sábado (20), o casal Adriane Santos Tavares e Antonio Paulo Moraes dos Santos, e também Zedequias da Silva da Silva, acusados de serem os mandantes da morte do adolescente Mizael Silva Gomes, de 16 anos. Os três foram localizados com base em denúncias de populares e levados à Divisão de Homicídios sem apresentar nenhuma resistência. A vítima foi morta a tiros por dois homens que invadiram a residência do menor, localizada na Passagem Nazaré, bairro da Pratinha II, em Belém, na noite de sexta-feira (19). Depois do crime, os dois fugiram do local em duas motos, de marca, modelo e placa não identificados.

Segundo relato dos familiares da vítima, a motivação do crime estaria relacionada ao fato de o adolescente ter sido acusado de molestar sexualmente, no interior do banheiro de uma igreja evangélica, uma criança de sete anos. O caso teria acontecido no último dia 8.

Na ocasião, o adolescente teria obrigado a criança a manter relações sexuais com ele. Os familiares de Mizael tomaram conhecimento da denúncia por parte dos pais da criança, que relataram ter procurado os órgãos oficiais para denunciar o ato infracional. A criança passou por exames periciais no Centro de Perícias Científicas Renato Chaves e foi encaminhada para atendimento psicológico.

As investigações realizadas pela equipe da Divisão de Homicídios mostraram ainda que, ao tomarem conhecimento de que Mizael, pelo fato de ser adolescente, não ficaria preso pelo abuso sexual, os pais da criança - Adriane Santos Tavares e Zedequias da Silva da Silva - em parceria com Antonio Paulo - atual companheiro de Adriane - resolveram planejar a morte do adolescente. Assim, eles contrataram duas pessoas para matá-lo, de modo a fazer "Justiça com as próprias mãos".

No momento em que a equipe da Divisão de Homicídios foi até o local da morte do adolescente, uma guarnição da Polícia Militar que fazia rondas pela área foi informada sobre o local onde os supostos mandantes do crime estariam escondidos. Os suspeitos foram detidos e conduzidos até a Divisão de Homicídios, no bairro de São Brás, em Belém, para serem ouvidos. Com a confirmação do envolvimento dos três no assassinato do menor, eles foram autuados em flagrante por homicídio.

Os presos estão custodiados à disposição do Poder Judiciário no Sistema Penitenciário. As investigações continuam para identificar os executores do menor. Adriane, Antônio e Zedequias passaram por audiência de custódia e tiveram as prisões em flagrante mantidas pela Justiça e convertidas em prisão preventiva. Contudo, Adriane teve a prisão preventiva substituída por prisão domiciliar devido ao princípio da proteção integral de criança, uma vez que a filha dela tem penas sete anos e precisa da mãe.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!