Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Aliado do desenvolvimento sustentável

O Cobre é, hoje, um dos principais aliados da eficiência energética e do desenvolvimento sustentável no planeta

Thamyris Assunção

Ele auxilia na transmissão da energia elétrica que você recebe em casa. Utilizado em projetos ambientalmente responsáveis, ajuda na diminuição da emissão de gás carbônico na atmosfera, principal responsável pelo chamado “efeito estufa”. Está presente nos cabos elétricos que passam pela sua rua, nas pequenas peças do seu computador, do seu celular e da sua televisão. O cobre, minério que a humanidade conhece e utiliza há milênios, é, hoje, um dos principais aliados da eficiência energética e do desenvolvimento sustentável no planeta. 

Por ter alta maleabilidade (pode ser convertido em produtos com diferentes formatos: fios, lâminas, bastões etc.), ductibilidade (propriedade que facilita a condução da eletricidade) e forte resistência à corrosão, o cobre se transformou em um minério extremamente necessário e importante para a indústria e para a economia mundial. E em tempos nos quais não se pode mais deixar de pensar em manejos e soluções que preservem o meio ambiente, esse minério é capaz de aliar dois anseios comuns da humanidade: a economia e a produção de uma energia mais limpa. Uma das grandes apostas para o presente e o futuro e onde o cobre se insere com imensa responsabilidade é no chamado mercado da eletromobilidade. Ou seja, na fabricação de veículos totalmente elétricos e híbridos elétricos, não-emissores de poluentes que, consequentemente, auxiliam na redução da emissão de gás carbônico na atmosfera. Nesse nicho da indústria, o minério tem papel fundamental, pois faz parte da composição dos motores, dos cabos, das baterias e de outros componentes dos veículos e atua como potencializador da eficiência dos equipamentos elétricos, melhorando o desempenho como um todo. Segundo dados da Associação Brasileira do Cobre (ABCobre), em um carro híbrido são 33 quilos de cobre em sua composição. 

Mesmo com números ainda tímidos, o mercado de eletromobilidade se mostra promissor no Brasil. Segundo dados da Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE), as vendas de veículos eletrificados bateram recordes em 2020 com 19.745 unidades vendidas, um crescimento de 66,5% se comparado com 2019. Além disso, pela primeira vez na história do setor, o mercado dos elétricos correspondeu a 1% do total de veículos do país. “O cobre é o principal elemento para transmissão e distribuição da energia elétrica. Ele está presente em toda nossa rotina e evolução social. Desde a luz, aparelhos elétricos e eletrônicos, hospitalares, transporte, moradias, tecnologia, lazer e muito mais. Ao gerar energia limpa (sustentável), por conta da sua característica de condução elétrica, o elemento se torna indispensável para a intensificação da eletrificação de veículos, equipamentos e máquinas, substituindo assim aqueles equipamentos que dependem de combustíveis fósseis. Além disso, o cobre é um material que pode ser reciclado e reaproveitado, o que aumenta significativamente seu ciclo de vida.”, explica o gerente de Meio Ambiente da área de Metais Básicos da Vale, Sérgio Melo. 

O cobre também é um aliado das fontes renováveis de energia, que são aquelas que geram pouca ou nenhuma emissão de gás carbônico e se apresentam como alternativas mais baratas e sustentáveis. Por ser dos melhores condutores de eletricidade e ter potente capacidade térmica, o minério integra a composição de cabos e outros mecanismos de turbinas eólicas (geradoras de energia a partir da força dos ventos) e placas fotovoltaicas (geradoras de energia alimentadas pela luz solar). O Brasil tem conseguido bons avanços no uso de fontes de energia limpa que já é a sua matriz energética predominante.  De acordo com dados mais recentes da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), ao longo de 2019, em todo o país foram instalados 110.997 sistemas geradores de energia solar – aumento considerado importante em relação ao ano de 2018, em que foram instalados pouco mais de 38 mil sistemas nos lares, comércios e indústrias brasileiros. Para que você, leitor, compreenda a importância do cobre nessas opções de energia limpa que podemos adotar e que hoje estão disponíveis no mercado, de acordo com a ABCobre, uma instalação de placas solares de pequeno porte pode consumir até 12 quilos do minério em sua composição. 

O cobre, por sua maleabilidade e transmissão de energia, é um importante componente na indústria tecnológica ()

Principal responsável pela operação do cobre no Pará, a Vale segue atenta a todo potencial que esse minério possui e às mudanças e necessidades a serem observadas e adotadas para promover, de maneira responsável, o desenvolvimento socioeconômico e sustentável da região. A preocupação com o meio ambiente e a redução dos impactos começa já na operação de cobre do empreendimento Sossego, em Canaã dos Carajás, onde são economizados 900 mil metros cúbicos de água, anualmente, na produção. E as ações vão além, como explica o diretor de Metais Básicos Atlântico Sul da Vale, Alfredo Santana.

“Todos os negócios e operações da Vale contribuem para que a empresa cumpra o novo pacto firmado com a sociedade em relação às questões Sociais, de Meio Ambiente e de Governança Corporativa (ESG). A participação da indústria de cobre sobre esses temas se conecta também ao processo de transformação do negócio de Metais Básicos, que compreende a adoção das melhores práticas em todas as suas operações. No que diz respeito ao meio ambiente, nas Unidades Salobo e Sossego - nossas operações de cobre do Brasil - atuamos nas seguintes frentes: Apoio à preservação/conservação do meio ambiente por meio de convênios firmados com o órgão ambiental (ICMBIO); Redução da emissão de carbono; Recuperação de áreas degradadas; Destinação adequada e reciclagem de resíduos. No ano de 2020,  a partir do replantio de mudas nativas,  essas operações recuperaram um total de  55,46 hectares de áreas degradadas. Desde 2012, o complexo Salobo já replantou cerca de 80 mil mudas de Castanha do Pará, espécie nativa ameaçada de extinção. Também em 2020, o percentual de reutilização/recirculação de água dessas operações ficou em 85%. Já o consumo de água nova caiu em 22% na comparação com o ano anterior. No mesmo ano, essas plantas foram responsáveis por 25% da redução da emissão de GHG (Greenhouse Gas ou Gases do Efeito Estufa)  em Metais Básicos Atlântico Sul. Por meio de convênios firmados com o ICMBio, todas as operações da Vale no Pará apoiam a gestão de unidades de conservação que compreendem mais de 800 mil hectares de áreas protegidas. Todas as contribuições do negócio de cobre à preservação do meio ambiente estão alinhadas  ao compromisso da Vale com o desenvolvimento das regiões onde atuamos, com a promoção de uma indústria de mineração mais segura e sustentável”, conclui Alfredo.

O futuro, como já vimos, se mostra bastante favorável ao uso do cobre. E o mercado entende, valoriza e se expande para abranger e investir em todo o potencial desse que é um dos minérios mais utilizados do mundo. Conforme dados da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), o cobre encerrou o ano de 2020 com uma alta de aproximadamente 27% e o crescimento projetado de 2% da China em 2021 será o principal vetor da demanda mundial dos metais, principalmente do cobre. Diante desse cenário, a Vale também alinha suas expectativas e metas, principalmente socioambientais, para seguir investindo no minério. “Indo além da propriedade do material, as operações de cobre também contribuem para o alcance das metas da empresa em relação à redução da emissão de carbono: em linha com as melhores práticas de Sustentabilidade mundial, a Vale anunciou que vai investir pelo menos US$ 2 bilhões para reduzir em 33% as suas emissões de carbono até 2030. Esse é o maior investimento já comprometido pela indústria da mineração para combater as mudanças climáticas. As medidas fazem parte do compromisso assumido pela Vale de se tornar ‘carbono neutra’ até 2050”, afirma Alfredo Santana.

Alinhada às tendências mundiais que buscam colaborar com a construção de uma sociedade mais dinâmica, conectada, “limpa”, com acessibilidade e, acima de tudo, consciência ambiental, para a Vale, a produção de cobre só tende a evoluir e a seguir fazendo parte do compromisso da empresa com o crescimento social e a proteção ambiental da região. “Em nosso propósito, afirmamos que existimos para melhorar a vida e evoluirmos juntos. Respeitar o nosso planeta e as comunidades é valor para todos da Vale. Portanto, desde o seu mais importante direcionador estratégico, a empresa deixa clara a preocupação com a mitigação dos impactos ambientais e com o ganho compartilhado em toda a nossa cadeia de produção e logística”, conclui o gerente de Meio Ambiente, Sérgio Melo.

Nosso Minério
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

Últimas de Nosso Minério