Opep tem acordo preliminar para corte de oferta de petróleo

Organização ainda aguarda Rússia para definição

Reuters

A Opep concordou nesta quinta-feira com um acordo preliminar para cortar a produção de petróleo, mas espera ouvir a Rússia, aliada importante que não pertence ao grupo, antes de decidir os volumes exatos para uma redução destinada a sustentar os preços do petróleo, disseram duas fontes do cartel.

O ministro da Energia da Rússia, Alexander Novak, voltou de Viena para casa para conversar com o presidente Vladimir Putin em São Petersburgo. Novak retorna à capital austríaca na sexta-feira para discussões entre a Opep e os aliados do grupo.

O preço do petróleo caiu quase um terço desde outubro, mas o presidente dos EUA, Donald Trump, exigiu que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo tornasse o petróleo ainda mais barato, evitando cortes na produção.

"Esperamos concluir algo até o final do dia de amanhã... Temos de incluir os países não-membros da Opep", disse o ministro da Energia da Arábia Saudita, Khalid al-Falih, a repórteres antes do início da reunião da Opep.

"Se todos não estiverem dispostos a se unir e contribuir igualmente, vamos esperar até que eles estejam."

Perguntado se a Opep poderia deixar de chegar a um acordo, Falih disse que todas as opções estavam na mesa. Possíveis cortes na produção da Opep e de seus aliados variaram de 500 mil a 1,5 milhão de bpd, e 1 milhão bpd seria aceitável, disse ele.

A reunião da Opep terminou sem números, disse um delegado da organização, lembrando que o debate vai continuar na sexta-feira.

Os contratos futuros do petróleo ampliaram perdas após fim de reunião da Opep.

Mundo