Mãe pede que ex-marido não seja condenado à morte por assassinar os 5 filhos

Amber Kyzer disse que, durante grande parte da sua vida, foi contrária à pena de morte

Redação Integrada com informações do G1

Uma mãe pediu ao júri que livre o pai de seus filhos da pena de morte. Ele é acusado pelo assassinato das próprias crianças. Tim Jones Jr. "não demonstrou a menor compaixão, mas meus filhos o amavam", disse Amber Kyzer para a Corte da Carolina do Sul.

O homem de 37 anos foi condenado em maio pela morte das cinco crianças, de idades entre 1 e 8 anos, que estevam sob sua guarda. O crime ocorreu na casa onde ele morava com os filhos, em Lexington, no dia 28 de agosto de 2014.

Kyzer acrescentou ao júri que, durante grande parte de sua vida, foi contrária à pena de morte. A Corte agora vai decidir se Jones Jr. deve ser executado ou cumprir prisão perpétua. "Eu sei o que meus filhos passaram e tiveram que suportar", disse Kyzer no tribunal, na semana passada.

Ela afirmou que, embora em vários momentos tenha desejado que o sistema penal americano "fritasse" Jones, ela não optaria pela pena de morte ao ex-marido. "Meus filhos o amavam e se eu estiver falando em nome dos meus filhos, não de mim mesma, é o que devo dizer."

Caso

O júri foi informado que, na noite do assassinato das crianças, o que teria desencadeado a fúria de Jones foi o fato de um de seus filhos, Nathan, um menino de 6 anos, estar brincando com uma tomada, em casa. Ele matou o filho e decidiu estrangular as outras quatro crianças: Elaine, de um ano, Gabriel, de dois anos, Elias, de sete anos, e Mera, de oito anos.

Jones enrolou os corpos em plástico, os colocou no carro e dirigiu com eles por nove dias antes de deixá-los numa área rural do Alabama. O homem foi preso ao ser parado por guardas de trânsito.

O pai se declarou inocente durante o julgamento - não por não ter cometido o crime, mas alegando "motivo de insanidade".

Mundo