Dietas vegetarianas ajudam a reduzir doenças cardíacas, mas podem aumentar risco de derrame

Estudo feito na Inglaterra questiona os benefícios das dietas restritivas de carne vermelha

Redação Integrada (Com informações do G1 Bem Estar)

Pesquisa publicada na revista científica "British Medical Journal" feita com base em uma experiência realizada com 48 mil pessoas, ao longo de quase duas décadas, aponta que dietas veganas e vegetarianas ajudam a reduzir o risco de doenças cardíacas, mas, podem aumentar a ocorrência de derrames.

O estudo analisou os dados do projeto EPIC-Oxford, sobre alimentação e saúde. Do quantitativo recrutado para fazer parte da pesquisa, metade consumiam carne, pouco mais de 16 mil se definiam como vegetarianos ou veganos e quase oito mil seguiam uma dieta semivegetariana, que permitia o consumo de peixes e frutos do mar.

Além da alimentação, fatores como histórico médico, tabagismo e atividade física também foram levados em conta para as avaliações dos participantes, feitas em duas etapas: a primeira entre 1993 e 2001, e a segunda em 2010.

Dos indivíduos que mantinham dietas restritivas à carne vermelha, 2.820 apresentaram casos de doença arterial coronariana e 1.072 foram acometidas de acidente vascular cerebral (AVC), popularmente conhecido como derrame - incluindo 300 casos de derrame hemorrágico, quando há sangramento no cérebro provocado pelo rompimento de vaso sanguíneo.

Entre as pessoas que mantinham dietas semivegetarianas, o risco de desenvolver doença arterial coronariana em relação às que comiam carne foi 13% menor. Já entre os veganos e vegetarianos, essa taxa era de 22%.

Porém, o risco de derrame registrado entre os que tinham uma dieta isenta de carne era de 20%, o que, para os pesquisadores, pode estar relacionado aos baixos níveis de vitamina B12, embora todos tenham considerado necessária a realização de novos estudos para comprovar essa tese.

Frankie Phillips, da Associação Dietética Britânica, alerta que o resultado desses estudos não são definitivos e nem devem colocar em xeque os benefícios das dietas veganas e vegetarianas para a saúde. Na opinião do especialista, o que deve ser levado em conta é que as dietas devem ser bem planejadas e combinar uma grande variedade de alimentos."

Além disso, defende, ao longo das duas últimas décadas a variedade de alimentos processados vegetarianos e veganos aumentou bastante, se tornando muito mais popular. No mesmo período, os estudos sobre os riscos à saúde associados ao consumo excessivo de carne vermelha e processada comprovaram há um índice maior de pessoas que desenvolveram câncer de intestino entre os que consumiram esse tipo de alimento.

De acordo com o Guia Eatwell do NHS, sistema público de saúde do Reino Unido, é importante manter a  variedade de alimentos na dieta diária. Veja o que colocar no prato:

  • Mínimo de cinco porções de frutas, legumes e verduras;
  • Priorizar nas refeições a ingestão de alimentos ricos em amido e fibras, como batata, pão, arroz ou macarrão;
  • Não descuidar da proteína - carnes magras, peixe, frutos do mar, leguminosas, tofu ou castanhas sem sal;
  • Incluir aticínios ou derivados de laticínios;
  • Reduzir ou mesmo eliminar a ingestão de alimentos ricos em gordura, açúcar ou sal

Outra recomendação a quem adota dietas veganas e vegetarianas é garantir o consumo de quantidade suficiente de alguns nutrientes específicos. Pessoas que eliminam por completo qualquer alimento de origem animal podem apresentar deficiência de vitamina B12 e dificultar a absorção de ferro e colina, nutriente que ajuda na comunicação entre as células nervosas.

Mundo
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!