Remo é condenado a pagar mais de R$ 370 mil para ex-lateral; Jurídico do clube vai recorrer

João Victor, que jogou no Remo em 2016, foi o autor da ação. Ele alega que o clube deveria ter custeado o tratamento de lesão na púbis

Redação Integrada

O Clube do Remo foi condenado pelo Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região (TRT8) a pagar mais de R$ 370 mil para o lateral-esquerdo João Victor, que fez parte do elenco azulino no primeiro semestre de 2016. Na época, o jogador foi dispensado por não ter correspondido as expectativas. Antes da dispensa, o jogador ficou um mês sem jogar por causa de uma lesão no púbis. A sentença do juiz da 5ª Vara do Trabalho de Belém, que faz parte do TRT8, Ricardo André Maranhão Santiago, saiu na última quarta-feira (13).

O juiz levou em consideração a alegação de que o Remo não pagou o salário correspondente até o final do contrato, as férias proporcionais, o 13º terceiro e nem depositou o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Os advogados de João Victor também alegaram na ação que o clube não deveria ter dispensado o jogador, uma vez que estava tratando uma lesão na púbis. 

Na sentença, o juiz determina que o Remo pague "saldo de salários, gratificação natalina, férias + 1/3, FGTS, multa do artigo 477 da CLT e indenizações substitutivas ao seguro-obrigatório e à garantia provisória de emprego, sem prejuízo de juros moratórios, atualização monetária, exações e compensações." 

O advogado do Remo, Pietro Alves Pimenta, informou à reportagem que o Remo vai recorrer da sentença. "Fomos intimados da sentença pelo Diário Oficial na data de ontem. Iremos analisar com bastante cuidado a decisão para interpor os recursos cabíveis, no prazo legal", disse. 

 

Remo