Relembre as piores eliminações do Remo na história da Copa do Brasil

Derrota para o Serra entrou em uma lista que contém algozes como Corinthians, Portuguesa e Brusque

Redação Integrada

Cerca de 500 torcedores do Remo foram à sede social do clube com a esperança de assistir a mais uma vitória do time que sustenta a melhor campanha do campeonato paraense. No entanto, a estreia azulina na Copa do Brasil terminou com derrota, eliminação para o Serra (ES) e uma linha a mais na lista de frustrações remistas na competição.

LEIA MAIS

A primeira - e talvez a maior de todas as tristezas azulinas na competição - foi em 1996. Na noite daquele dia 9 de abril, o Leão estava prestes a eliminar o poderoso Corinthians em Belém, com o gol de Junior, mas, no finalzinho do jogo, o meia Castor se atrapalhou completamente em um lance dentro da área remista e acertou um balaço contra o próprio gol. O empate em 1 a 1 sacramentou a classificação dos paulistas.

Dois anos depois, o Remo enfrentou a Portuguesa de Desportos e venceu em Belém por 2 a 0, com gols de Edil e Ageu Sabiá. Na partida da volta, porém, os azulinos sucumbiram e foram atropelados por 5 a 0.

Já neste milênio, foram cinco derrotas doloridas para os azulinos. Em 2004, o Leão venceu em Tocantins por 2 a 1, com dois gols de Junior Amorim - o atual técnico do São Francisco -, só que a volta foi de derrota por 3 a 1 e eliminação.

Junior Amorim, Junior Ferrim e Gian não foram suficientes para evitar a eliminação remista  (Raimundo Paccó)

Quatro anos depois, em 2008, o empate fora de casa com o Central (PE) abriu caminho para uma simples vitória em Belém para garantir a vaga na segunda fase da competição. Dentro do Mangueirão, no entanto, o goleiro Adriano "Paredão" levou dois gols - sendo um por cobertura - e viu o Remo dar adeus à Copa do Brasil.

Arthur Oliveira tenta consolar atleta após a eliminação para o Central (Cristino Martins)

Em 2014, o Remo recebeu o Internacional (RS) na estreia e, diante de grande público, foi atropelado com uma goleada por 6 a 1, com destaque para o atacante Rafael Moura - o "He-Man" -, que lembrou do Paysandu, ex-clube, em uma das comemorações de gol. 

Rafael Moura ( à direita) marcou dois dos seis gols do Internacional (Tarso Sarraf / Arquivo O Liberal)

No ano retrasado, o Leão viajou a Brusque (SC) como o favorito para o confronto contra o time da cidade e passou sufoco. O então goleiro do Remo, André Luiz, ainda pegou uma penalidade, mas não evitou a derrota por 2 a 1 e a eliminação no certame.

Tsunami tentou ajudar o Remo, mas amargou a eliminação (GIL GUZZO / ELEVEN / AG)
Remo