Quanto vale o acesso? Presidente do Paysandu projeta valor em caso de retorno à Série B

A cota de televisão da Série B é de R$8 milhões

Nilson Cortinhas

O acesso do Paysandu, que encara o Náutico-PE, a partir das 18h do próximo domingo (8), é uma questão de necessidade. Não apenas pelo fato de dar uma resposta imediata à torcida menos de um ano após o rebaixamento de divisão. 

Há uma questão financeira envolvida. O presidente do Paysandu, Ricardo Gluck Paul, acredita que a salvação das finanças do clube passa pelo retorno imediato à Série B do Campeonato Brasileiro. De acordo com uma projeção, a injeção seria na ordem de R$8 milhões. "Com a Série B, teríamos oito milhões só de cota na Série B. Nos traria uma situação mais confortável. Foi um ano difícil financeiramente. Nós chegamos até aqui com dificuldade", disse Ricardo. 

Os funcionários do Paysandu conviveram com pequenos atrasos salariais durante o ano. Gluck Paul não escondeu o assunto sempre que foi questionado. Na Série C, embora tenha uma emissora que transmite os jogos, a Confederação Brasileira de Futebol não repassa os valores aos clubes, alegando que já banca viagens e hospedagens.   

Na hipótese de eliminar o Timbu, em pleno estádio dos Aflitos, o Paysandu ainda teria garantido os jogos das semifinais do Campeonato Brasileiro. "Se conseguir passar de fase, a receita do jogo em casa já servirá para concluirmos as contas desse ano", projeta o mandatário bicolor.

Paysandu
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!