Condé diz que já tem reforços em mente para o Paysandu: "Precisamos encorpar esse elenco"

Depois da derrota para o Bragantino, técnico só fala nas mudanças que precisam ser feitas para time encarar os outros desafios

Caio Oliveira

Reforços. Essa foi a palavra mais dita pelo técnico Léo Condé após a derrota em casa do Paysandu, que jogando na Curuzu na noite de sábado, perdeu de uma só vez a vaga na Copa do Brasil no ano que vem e o terceiro lugar do campeonato paraense para o Bragantino. Faltando uma quinzena para estrear na série C do campeonato brasileiro, o mineiro que comanda o Paysandu há menos de três semanas não se eximiu de suas responsabilidades, mas deixou claro que não aceita ser taxado como culpado pela campanha infeliz do bicola, já que teve pouco tempo para trabalhar com a equipe.

LEIA MAIS

“O jogo de hoje foi bastante movimentado, e temos que parabenizar o adversário, que vem com bons jogadores e em uma boa fase. O Paysandu conseguiu fazer um jogo equilibrado, perdendo várias chances, como eles também perderam, mas nossa campanha na reta final não condiz com a história do clube”, disse aos jornalistas depois da partida. “É um momento de refletir no que foi feito, no que tá funcionado e no que não está. Temos esse tempo de 15 dias para pensar e chegar forte na série C”, pontuou.

Condé reforçou que o que mais pede agora da diretoria são as novas contratações, que devem girar em torno de seis novos nomes. “O Paysandu tem que chegar pra ser protagonista, e é nisso que vamos trabalhar agora, tanto com nossos jogadores que já estão aqui quanto com os possíveis reforços que podem chegar”, explicou. “Temos que buscar pessoas para o Paysandu como um todo, preocupados com as outras competições que temos esse ano. A leitura que eu faço é que o Paysandu não pode mais ser um time reativo, temos que agredir o adversário do início ao fim e com os reforços, é isso que vou buscar”, garantiu. 

Em tom apaziguador, Condé elogiou o trabalho de seu antecessor Brigatti, e não quis apontar culpados pela má campanha, mas fez questão de dizer que fez o que pôde em pouco tempo no comando. “Eu não sei o que melhorou ou piorou porque não estava desde o começo, mas a cada jogo, e vou tentando mudar como posso a equipe, mas claro que tenho minhas limitações, como o time tem suas limitações”, disse o mineiro.

Sem citar nomes, Léo Condé disse que ele e a diretoria já tem alguns nomes dos que devem sair do time para a chegada de novos jogadores. “Já detectamos as posições que temos carências, mas discutimos isso internamente, e com o tempo isso será liberado à imprensa. Precisamos de reforços para encorpar esse elenco”. Quando questionado se Leandro Cearense poderia retornar ao Paysandu no meio dessas mudanças, o técnico não confirmou, mas também não negou o retorno do jogador, se limitando a elogiar sua habilidade e dizer que somente a diretoria pode decidir. “Tenho conhecimento dele, sim”, disse Condé.

Paysandu
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!