Bragantino explica "calote" à arbitragem do jogo contra o Paysandu e programa pagamento

Ao todo, Tubarão pagará R$ 16.617,81 pelos serviços relacionados à arbitragem da decisão do terceiro lugar do Parazão

Carlos Fellip

A informação acerca da falta de pagamento da arbitragem no jogo entre Bragantino e Paysandu, pela decisão do terceiro lugar do campeonato paraense, causou a assinatura de um documento como promessa de quitação. Como o mando da partida era do Tubarão do Caeté, o Braga assumiu a responsabilidade pelo débito e formalizou que o dinheiro será repassado à FPF (Federação Paraense de Futebol) ainda nesta segunda-feira (15).

LEIA MAIS

Arbitragem leva calote de Paysandu x Bragantino

O valor total de R$ 16.617,81, sendo que R$ 9.900 serão rateados pela equipe de seis profissionais que trabalharam no setor de arbitragem da partida, foram eles: o árbitro Marco José Soares de Almeida, os assistentes Rafael Bastos Cardoso e Nayara Lucena Soares, além do quarto-árbitro Danilo Lopes Viana, do quinto-árbitro Joelson Ferreira Cardoso e da analista de arbitragem Irinéia Adelaide de Oliveira Dalmacio.

Veja abaixo o detalhamento das despesas do jogo em relação à FPF:

O presidente da Comissão de Arbitragem e também vice-presidente da FPF, Maurício Bororó, garantiu que o caso não provocou estremeceu a relação das entidades com o Braga. "Eu não estava no jogo, mas recebi todas as informações e, além do documento assinado, o presidente do Bragantino ainda me ligou no sábado à noite, após a partida explicando o caso e confirmando o pagamento para hoje", disse.

Já em Bragança, o mandatário do Bragantino, Cláudio Wagner, pediu desculpas pelo caso e se justificou: "Antes de tudo, pedimos desculpa às pessoas que trabalharam. O Bragantino sempre honrou seus compromissos e vai honrar este. Vou transferir ainda nesta manhã o dinheiro à conta da FPF. Não conseguimos pagar porque esperávamos uma renda entre R$ 50 mil e R$ 100 mil, mas deu apenas R$ 12 mil. Por isso, o atraso".

Além da arbitragem, o Tubarão ainda pagou outros R$ 26 mil ao Paysandu. "Este é o dinheiro referente às despesas do jogo, como segurança, lanche, rádio, brigadistas, taxa de utilização do estádio e etc", detalhou Cláudio.

Paysandu
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!