Mãe paysandu veste o filho com a camisa do Remo para homenagear namorado falecido

Monyk usou as redes sociais para homenagear ex-companheiro. Filho do casal vai entrar com os jogadores do Remo no próximo Re-Pa

Fábio Will

O futebol emociona, proporciona belas histórias e une pessoas. Há poucos dias do primeiro Re-Pa de 2019, a história do casal Monyk e Marcelo comprova o quanto o clássico representa fora dos gramados. Um amor que nasceu através do dérbi mais disputado do mundo e que emocionou internet.

 

O amor

Monik Oliveira e Marcelo Fôro se conheceram na escola, em 2015, no bairro do Jurunas, em Belém, mas o romance engrenou mesmo quando Marcelo convidou a torcedora do Paysandu para assistir ao clássico, em um bar, no dia 3 de abril de 2016. Dentro de campo Leão e Papão empataram em 1 a 1 (gols de Eduardo Ramos para o Remo e Betinho para o Paysandu), mas fora dele foi o início do relacionamento entre Monik e Marcelo.

O casal viveu junto um pouco mais de dois anos, foi aos clássicos e neste período nasceu o pequeno Lorenzo. Foi quando o casal entrou em um dilema: para qual clube o Lorenzo iria torcer? Marcelo se adiantou, comprou a camisa do Remo e vestiu o filho com manto azulino. Monik não ficou atrás e comprou o manto alviceleste para o garoto.

A felicidade e a paz era uma marca da família (Arquivo pessoal)

 

O baque

A rivalidade sadia alimentou o lar da família, mas durou apenas dois anos. Marcelo morreu e Monik se viu sozinha. Para homenagear o namorado, fez uma postagem no Facebook, no dia da partida entre Remo x Tapajós, no Mangueirão. A torcedora do Papão e mãe do Lorenzo vestiu o filho com a camisa do Remo e lembrou que o Re-Pa seria um dia especial, em que o Marcelo estaria feliz. Um dos motivos foi que Lorenzo, por incentivo da mãe, será um torcedor do Leão.

"Quem conheceu o Marcelo sabe o quanto ele amava o Remo, o quanto  ele se vestia de Remo, ele respirava esse time. Eu olhei para o Lorenzo e vi ele com lágrimas nos olhos, estou escrevendo isso aqui chorando. Nunca será só futebol, nunca serão só times, são paixões, são histórias, é amor acima de tudo. Sei que o Marcelo está orgulhoso olhando o Lorenzo aí de cima", postou.

 

A homenagem

Quase um ano do falecimento de Marcelo, Monik ganhou um presente do Remo: o presidente do clube, Fábio Bentes, soube da história e o pequeno Lorenzo vai entrar no clássico Re-Pa do próximo domingo (17) com os jogadores azulinos. Monik frisou que será difícil não segurar as lágrimas.

"Já estou me preparando emocionante, pois sei que vou chorar bastante quando ver meu filho entrando com os jogadores do Remo. Esse era o nosso sonho. Sempre que tem jogo eu fico com aquele aperto no coração. Se ele ainda estivesse aqui, nos estaríamos assistindo juntos. É complicado conviver com a ausência do Marcelo. Todos os jogos são difíceis", contou.

Lorenzo era o xodó do azulino Marcelo (Arquivo pessoal)

 

O respeito

Monik, de 23 anos, falou da rivalidade sadia que existia entre ela e Marcelo e pediu respeito entre os torcedores no próximo dia 17 de fevereiro, quando Remo e Paysandu se enfrentam.

"Quando as pessoas respeitarem as escolhas do próximo, independente do time, da cor e da raça, com certeza teremos um mundo melhor. Ainda tenho esperança que um dia possamos ter clássicos sem brigas, mortes e ofensas, que só mancham as histórias dos clubes. As nossas torcidas são lindas, só falta conscientização", contou.

Remo e Paysandu se enfrentam neste domingo (17), às 16h, pela quarta rodada do Campeonato Paraense 2019. A partida terá transmissão lance a lance pelo OLiberal.com.

Esportes