Serra, o Cobra Coral capixaba, prepara bote para surpreender o Remo na Copa do Brasil

Tricolor Serrano, campeão de 2018, vem mal no Capixabão deste ano com uma vitória em três jogos disputados

Braz Chucre

Em 88 anos de ação no futebol do Espírito Santo o Serra, adversário do Remo na Copa do Brasil de 2019, tem apenas seis títulos estaduais. O último foi em 2018 e no campeonato deste ano não está com boa campanha na competição. O Cobral Coral, como é conhecido, amarga uma penosa colocação de sétimo lugar no 'Capixabão' com apenas 3 pontos em três jogos disputados.

No sábado (9), foi derrotado pelo Atlético-ES - clube vencido pelo Paysandu na final da Copa Verde de 2018 - por 1 a 0. Agora troca de chip e se prepara para o duelo com o Remo em um único jogo da Copa Brasil, cujo jogará pela vitória para prossegur. Como tem melhor ranking, o time paraense tem a vantagem de jogar pelo empate.

O jogo marcado para o estádio Roberto Siqueira Costa (Robertão), de propriedade do Serra, está marcado para as 19h30 (horário de Belém). O estádio é pequeno e tem capacidade para 3 mil pessoas.

O time, depois da derrota para Atlético-ES, voltou aos treinos nesta segunda-feira ao comando do treinador Cleiton Marcelinho,  contratado no mês de dezembro, que deve manter a formação anterior. 

A diretoria tricolor fixou os valores do ingressos em R$30, com idosos, estudante e doadores de sangue pagando a metade: R$15. Foi colocado à venda a carga máxima do estádio.

O Serra manteve no elenco o atacante Rael Cruel, artilheiro capixaba; além do volante Caetano; do goleiro Walter; do zagueiro Marquinhos; do meia Emílio; e do xodó da torcida, o atacante Diego Alves.

Na ala dos mais experientes, o Serra contratou o volante Maicon, de 33 anos que já foi campeão da Recopa Sul-Americana, com o Internacional de Porto Alegre, em 2007. Jogando na lateral esquerda; Vandinho que passou por clubes como São Caetano, Vila Nova-GO, Uberlândia e já atuou na Grécia.
 

Futebol