Diante da pandemia da Covid-19, ex-atacante da dupla Re-Pa promove ação social

Famílias carentes ganham cestas básicas

Braz Chucre

O novo coronavírus gera momentos e apreensão, cuidado e também de solidariedade. O Estado vive em alerta no combate ao vírus. Grupos, entidades estão unidos nas medidas de prevenção da Covid-19. Quem pode ajudar o próximo, sobretudo os mais carentes, faz sua parte solidária.

É o caso de um grupo de peladeiros de Castanhal que se reúne nos dias de sexta-feira no campo do Santa Lídia, no bairro do Milagre, denominado de Associação da Juventude Beneficente do Santa Lídia Esporte Clube.

O grupo, com mais de 60 pessoas, conta com a presença do atacante Leandro Cearense, jogador de boa fama no futebol paraense.

Na semana passada, durante a pelada, surgiu a ideia de ajudar as pessoas carentes e por medida de segurança estão reclusas em suas residências. “Na hora surgiu a ideia. A turma toda concordou. Vamos, vamos e no dia a coleta arrecadou mais de R$400 e me parece já passou dos setecentos. Com o dinheiro vamos comprar cestas básicas e distribuir para aquelas que não podem sair de casa.  Essa pandemia não ´brincadeira e não custa nada ajudar os outros. Mas recomendamos aos amigos não fazerem aglomeração. É ficar em casa é o melhor remédio contra esse mal”, diz. A distribuição das cestas será no dia 28.

Na avaliação sobre a paralisação do futebol brasileiro, comenta que foi certa a decisão da CBF e das Federações. “ Um verdadeiro impacto para todos, ninguém queria isso, mas é uma medida muita justa. É necessário para garantir saúde e integridade do jogador e das pessoas.  Que aconteceu na China, na Itália não pode acontecer no Brasil, principalmente em nosso Estado”, alerta.

Leandro Cearense, 34 anos, está vinculado ao Vila Nova- MG. Foi pelo time mineiro que marcou o gol que o “Rei Pelé” tentou fazer na Copa do Mundo de 1970 sobre o goleiro Mazurkiewicz, do Uruguai. Do meio-campo viu o goleiro Renan Rocha, que passou pelo Paysandu, adiantado, mandou a bola por cima. Foi um golaço.

“Foi um gol muito elogiado pela crônica, um dos melhores marcados por mim”, confessa. Cearense permanece em Castanhal aguardando novas situações. Ainda não sei do Vila Nova se vai liberar a gente”, expõe.

Cearense faz apelo aos clubes, entidades, jogadores ajudarem às pessoas necessitadas. Não custa nada cumprir um ato de humanidade. Imaginou uma família não ter nada em casa, bate o desespero. Vamos colaborar, é importante”, ressalta   

Futebol
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM ESPORTES