CREA pede dossiê do Mangueirão após queda de parte do teto do estádio

Agentes fiscais pedirão uma série de documentos relacionados ao estádio

Redação Integrada

Após vistoria realizada no estádio Mangueirão, na manhã desta quarta-feira (9), agentes do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Pará (Crea-PA) solicitaram a documentação de serviços recentes na praça esportiva. A equipe enviada foi recebida por Júlio Vieira, diretor de eventos da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (SEEL).

Leia mais:

Após vistoria em silêncio, Seel abre portões do Mangueirão e garante providências

Arquiteto do Mangueirão aponta abandono do estádio: "Ele pede socorro"

Corpo de Bombeiros realizará inspeção no Mangueirão após desabamento

Após queda de parte do teto, diretor da FPF garante que Remo jogará no Mangueirão

Na última segunda-feira (7), parte do reboco do teto das arquibancadas se desprendeu e caiu nos assentos onde ficam os torcedores. Tudo isso faltando 11 dias para o primeiro jogo do Campeonato Paraense de 2019 no local, a partida entre Remo e Tapajós. 

Segundo o agente fiscal Kleber Souza, entre as documentações que serão pedidas ainda esta semana, estão: o laudo do engenheiro de 2018 e a cópia dos projetos do estádio que devem ter sido feitas no ano passado, conforme a Anotação de Responsabilidade Técnica de Obras e Serviços (ARTs).

“[Também será pedida] a relação de todos os profissionais que fazem parte do quadro técnico da SEEL e a relação das empresas que prestam serviços envolvendo parte elétrica, mecânica, automação, segurança, circuito interno de TV. Ampliando assim nossa fiscalização”, disse o Kleber.

O Crea-PA não tem o poder de embargar obras. Cabe à instituição a análise de registros, que podem até mesmo acarretar em multas e sanções via Conselho de Ética. Por lei, os registros das ARTs de qualquer obra são obrigatórios. Antes da fiscalização dessa manhã, em uma consulta ao sistema de dados do órgão, alguns foram encontrados.

Ainda é preciso outros documentos que estejam compatíveis com o diagnóstico da vistoria realizada. Inclusive serão analisadas questões como a irrigação e manutenção do gramado, além dos equipamentos do Mangueirão. Tudo isso abrange a atividade de fiscalização do Crea-PA.

Kléber acredita que a SEEL não criará dificuldades quanto à transparência das informações pedidas. Porém, como o Conselho está preocupado com a segurança do público que assiste às partidas no Mangueirão, caso seja necessário, a via judicial poderá ser acionada.

“Em relação aos laudos e às ARTs, elas estão no nosso banco de dados, ou seja, possui um engenheiro responsável. Agora, em cima da análise do laudo, vamos verificar se existia ou existe alguma recomendação pra correção de algo e verificar junto ao Crea-PA os procedimentos que vamos adotar daqui adiante”, finaliza o agente.

Futebol