Bragantino confirma pagamento da arbitragem de decisão com o Paysandu e FPF acusa recebimento

Tubarão pagou uma quantia total de R$ 16.617,81 à equipe que trabalhou na disputa do terceiro lugar do Parazão, contra o Paysandu

Redação Integrada

Tudo quitado! Dois dias após a partida contra o Paysandu que rendeu o terceiro lugar do Parazão e a vaga na Copa do Brasil, o Bragantino confirmou o pagamento dos R$ 16.617,81 referentes aos serviços da FPF, principalmente os de arbitragem. 

LEIA MAIS

Bragantino explica "calote" à arbitragem do jogo contra o Paysandu e programa pagamento

O pagamento foi feito através de transferência bancária às 12h34 desta segunda-feira (15). Veja na imagem abaixo!

Em contato com a reportagem de OLiberal.com, o presidente do Tubarão, Cláudio Wagner, declarou: "Feliz em quitar este débito. Nada paga a consciência de poder andar na rua e olhar tranquilo para qualquer pessoa. O Bragantino sempre honrou seus compromissos e manteve a palavra novamente", disse.

JUSTIFICATIVA

Cláudio Wagner se justificou: "Antes de tudo, pedimos desculpa às pessoas que trabalharam. O Bragantino sempre honrou seus compromissos e vai honrar este. Vou transferir ainda nesta manhã o dinheiro à conta da FPF. Não conseguimos pagar porque esperávamos uma renda entre R$ 50 mil e R$ 100 mil, mas deu apenas R$ 12 mil. Por isso, o atraso".

O valor total de R$ 16.617,81, sendo que R$ 9.900 serão rateados pela equipe de seis profissionais que trabalharam no setor de arbitragem da partida, foram eles: o árbitro Marco José Soares de Almeida, os assistentes Rafael Bastos Cardoso e Nayara Lucena Soares, além do quarto-árbitro Danilo Lopes Viana, do quinto-árbitro Joelson Ferreira Cardoso e da analista de arbitragem Irinéia Adelaide de Oliveira Dalmacio.

Futebol