Bilheteria no campeonato paraense é sinônimo de instabilidade e, para muitos, é prejuízo; entenda

O Tapajós foi o clube que mais sofreu nas sete primeiras rodadas do campeonato paraense. O clube chegou a ter um déficit de R$ 5 mil reais em um jogo só!

Nilson Cortinhas

Não é fácil fazer futebol no Pará. Uma análise dos borderôs das partidas da primeira à sétima rodadas do Campeonato Paraense de Futebol aponta o quanto os clubes não podem ficar reféns do faturamento das bilheterias, por duas razões principais. 

A primeira é que as receitas líquidas, já descontadas as despesas, geram valores pequenos, alguns até desprezíveis para fazer futebol profissional. Outros têm, inclusive, variação negativa, como os três jogos do Tapajós, em Santarém. Na partida contra o Águia e Marabá, o déficit foi de quase 1,5mil reais. A situação se agravou nos jogos contra o Remo (-5 mil reais) e Castanhal (-4 mil reais). 

Portanto, o Tapajós lida com a máxima: paga para jogar. Trata-se de um clube novo, sem relação consolidada com torcida, daí, os resultados pífios oriundos da bilheteria. A questão é como sobreviver. Em geral, os clubes mandantes levam 100% do que é receita líquida da partida. O Re-Pa é o único jogo em que é acordado divisão igualitária de renda. 

A ausência de público em Santarém vai na contramão do que foi verificado historicamente. "Há reclamação em cima das diretorias do São Francisco e do São Raimundo, que contrataram técnicos de fora, jogadores de fora. Isso afastou muito a torcida. O Tapajós é recente, não tem tradição", observa Anderson Alvez, torcedor do Remo, que mora em Santarém e frequenta o estádio Colosso do Tapajós. 

Despesas 

Um outro problema diz respeito as despesas operacionais das partidas. Embora organizadora do campeonato, a Federação Paraense de Futebol (FPF) não banca os custos de arbitragem, auxiliares, delegados e fiscais. Incluí-se também quadro móvel FPF, diárias e outras variáveis. Todas as despesas ainda têm descontos de 11% para o INSS - Instituto Nacional do Seguro Social. No final das contas, o valor das despesas ultrapassa a metade do faturamento das partidas. Algumas chegam até a 67%. 

Re-Pa 

Como era de se esperar, o clássico Remo e Paysandu, válido pela 4º rodada, foi o que gerou mais faturamento, um total: R$527 mil. Desse valor, no entanto, o Remo recebeu R$184 mil e Paysandu teve saldo de R$141mil. Mesmo assim, nenhum desses dois valores pagam sequer uma folha salarial dos clubes.  

Se o Tapajós é o clube com mais problemas relacionados a receitas de bilheteria, a dupla Re-Pa é a que mais faturou. Em valores aproximados, os dois clubes levaram 460 mil reais cada.   

Patrocínio

O Campeonato Paraense não é tão deficitário em função de recursos públicos envolvidos. Na cerimônia de lançamento do estadual, o governador do Pará, Helder Barbalho, disse que foi contratualizado entre a executiva estadual, os clubes e a Federação Paraense de Futebol, recursos na ordem de R$4,2 milhões, destinados a viabilização do campeonato, além de um recurso intitulado meritocracia que é a premiação dos primeiros colocados. 

Total X Receita Líquida*  

1º Rodada 
 
Remo 1 x 0 Tapajós  
Total: R$409 mil
Valor recebido: R$276 mil 

Paysandu 4 x 1 São Francisco 
Total: R$210mil
Valor recebido: R$136mil 

São Raimundo 1 x 1 Águia 
Total: R$42mil;
Valor recebido: R$29mil

Bragantino 1 x 2 Paragominas  
Total: R$40 mil
Valor recebido: R$27 mil 

Castanhal 1 x 2 Independente 
Total: R$14mil
Valor recebido: R$5,5 mil  

2º Rodada 

Paysandu 2 x 1 Bragantino 
Total: R$214mil
Valor recebido: R$139 mil 

São Raimundo 0 x 2 Remo 
Total: R$42 mil 
Valor recebido: R$27mil

Independente 3 x 1 São Francisco 
Total: R$8 mil 
Valor recebido: R$1 mil  

Tapajós 1 x 0 Águia de Marabá 
Total: R$4 mil
Valor recebido: R$-1.437 mil

Paragominas 1 x 0 Castanhal 
Total: R$19 mil
Valor recebido: R$9 mil  

3º Rodada 

Castanhal 0 x 0 Paysandu 
Total: R$89 mil
Valor recebido: R$69 mil  

São Francisco 2 x 2 Tapajós 
Total: R$9,8 mil
Valor recebido: R$2,2 mil  

Independente 3 x 1 Remo 
Total: R$39 mil
Valor recebido: R$19 mil  

Águia 2 x 1 Paragominas 
Total: R$22 mil
Valor a recebido: R$12 mil  

Bragantino 3 x 1 São Raimundo 
Total: R$42 mil
Valor a recebido: R$27 mil  

4º Rodada 

Remo 0 x 3 Paysandu 
Total: R$527 mil
Valor recebido: R$184 mil (Remo); R$141mil (Paysandu)

Águia 0 x 0 Independente  
Total: R$14 mil 
Valor recebido: R$5 mil

São Francisco 4 x 5 Paragominas  
Total:
R$6,4 mil
Valor recebido: R$2mil

Bragantino 3 x 2 Tapajós  
Total: R$23 mil
Valor recebido: R$13 mil

Castanhal 1 x 0 São Raimundo  
Total:  R$7,6 mil
Valor recebido: R$1,2 mil

5ª rodada

Paragominas 1x1 Remo
Total: R$31 mil 
Valor recebido: R$17 mil reais

Paysandu 2x0 Águia
Total: R$94 mil
Valor recebido: R$43,2 mil

Independente 1x0 Bragantino
Total: R$6,125 mil 
Valor recebido: R$3,128 mil

São Raimundo 1x2 São Francisco
Total: R$24,200 mil 
Valor recebido: R$4,129 mil 

Tapajós 0x0 Castanhal
Total: R$520
Valor recebido: R$-4,914 mil 

6ª rodada

São Francisco 0x2 Independente
Total: R$6 mil
Valor recebido: R$2,1 mil

Remo 3x0 São Raimundo
Total: R$37,3 mil 
Valor recebido: R$5,4 mil

Castanhal 0x0 Paragominas
Total: R$9,160 mil
Valor recebido: R$2,1mil 

Águia 3x1 Tapajós
Total: R$7,5 mil 
Valor recebido: R$-825 reais

Bragantino 0x0 Paysandu
Total: R$123,345 mil 
Valor recebido: R$95,496 mil 

7ª rodada

Independente 2x0 Castanhal
Total: R$9,4 mil 
Valor recebido: 6,6 mil 

São Francisco 0x3 Paysandu
Total: R$15,3 mil 
Valor recebido: R$3 mil 

Tapajós 0x0 Remo
Total: R$2,8 mil 
Valor recebido: R$-5,028 mil 

Águia 2x2 São Raimundo
Total: R$12,8 mil 
Valor recebido: R$3,4 mil 

Paragominas 2 X 2 Bragantino
Total: Sem informações
Valor recebido: Sem informações

*Valores aproximados 

Futebol