Com falta de capricho e intensidade, Santos joga mal em Belo Horizonte

Com somente dez chutes ao gol de Victor, Peixe não conseguiu ser incisivo no empate em 0 a 0 diante do Atlético-MG, nesta quarta-feira, no Independência, pelo torneio nacional

Arthur Faria

O Santos jogou mal e empatou em 0 a 0 com o Atlético-MG, nesta quarta-feira, no Independência, pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. O Peixe teve uma atuação estranha em Belo Horizonte.

Um dos times mais legais de acompanhar neste começo de ano, o Santos não conseguiu caprichar nas finalizações e ter intensidade na saída de bola e no ataque como ocorreu nos últimos jogos.

Prova disso foram as finalizações do Santos na noite desta quarta. Foram somente dez, apenas três em direção ao gol de Victor. O normal é o Peixe chutar mais de 25 vezes. Os jogadores também não conseguiam manter a bola no ataque. Derlis González fez outro jogo apático e tomou decisões erradas.

O adversário também não estava inspirado. Os atacantes Ricardo Oliveira e Geuvânio, ambos ex-Santos, tiveram atuações apagadas e não levaram perigo ao gol de Everson.

O goleiro do Peixe, inclusive, retomou parte da confiança perdida no duelo contra o Vasco, pela Copa do Brasil, quando falhou em um dos gols da equipe carioca. Desta vez, fez boas defesas, repôs a bola rapidamente, além de ter sido soberano no jogo aéreo.

Com mais um jogo fora de casa, o Santos se concentra novamente no Brasileirão para o confronto direto diante do Palmeiras, neste sábado, às 19h, no Pacaembu, pela quinta rodada do torneio nacional.

Esportes