Guedes admite volta de auxílio, mas havendo cortes

Ministro afirma ser preciso bloquear verbas da saúde para pagar benefício

Redação Integrada com informações do Metrópoles

A volta do auxílio emergencial por causa da pandemia de covid-19, segundo disse o ministro da Economia, Paulo Guedes, nesta terça-feira, 26, seria possível a partir do bloqueio de investimentos com saúde, educação e segurança pública.

Ao lado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o ministro disse que o País vive situação semelhante a uma “guerra”, em que não se pode ter aumento de salários nem entregar medalhas antes do fim da batalha.

“Quer criar o auxílio emergencial de novo? Tem que ter muito cuidado. Pensa bastante. Porque, se fizer isso, não se pode ter aumento automático de verbas para educação, para segurança pública”, disse, em videoconferência realizada pela Credit Suísse.

“Durante a guerra, é fazer armamento. Pega os episódios de guerra aí e vê se teve aumento de salário durante a guerra, se teve dinheiro para saúde, educação… não teve, é dinheiro para guerra”, complementou o ministro da Economia.

Economia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM ECONOMIA

MAIS LIDAS EM ECONOMIA